fbpx
Bobina de rolo de aço galvanizado industrial

O aço é uma das matérias-primas mais utilizadas pelo setor industrial. Com ele, é possível desenvolver máquinas, eletrodomésticos, peças e muito mais. O que faz o aço ser tão versátil é a sua capacidade de se adaptar e formar novas características de acordo com os materiais utilizados em sua produção. Saber como é feito o aço deve ser a primeira consideração antes de escolhê-lo para o seu produto ou aplicação.

Veja, neste texto, tudo o que você precisa saber sobre a fabricação do aço galvanizado e do galvalume. Não deixe de conferir!

Quais as etapas de produção do aço galvanizado e do galvalume?

O aço é um material produzido em siderúrgicas a partir do aquecimento do minério de ferro bruto com outros materiais. No alto forno ou em caldeirões, essas matérias-primas se transformam em líquido, chamado então de ferro gusa.

A partir desse ponto, o ferro gusa passa por vários processos e adições de outros materiais para adquirir novas propriedades. Depois, o aço é resfriado e transformado em placas contínuas e padronizadas.

Após a fase de produção inicial, que é basicamente padrão para todos os aços, eles recebem outros tratamentos para diferenciá-los ainda mais, de acordo com as suas futuras aplicações.

A laminação é o processo que transforma as placas de aço em lâminas. Esse processo pode ser realizado de duas formas: a frio e a quente. No processo de laminação a frio, que ocorre com a temperatura abaixo de 100°C, o aço ganha mais maleabilidade. Já no processo de laminação a quente, a temperatura de trabalho do aço é superior a 900°C.

Tanto o aço galvanizado quanto o aço galvalume são aços laminados a frio, ou seja, o aço base e o processo de laminação são os mesmos, mudando apenas o tratamento posterior que o aço recebe.

Como acontece a galvanização?

A galvanização é o processo de revestimento da chapa de aço com zinco. A cobertura pode ser realizada por dois métodos: imersão ou eletrogalvanização.

  • imersão: o aço é banhado no zinco líquido quente e depois, é levado a outro lugar reservado para secar. Após a secagem completa do zinco, ele está protegido e pronto para ser utilizado;
  • eletrogalvanização: o aço mergulha em uma solução de zinco, sal e ânodo sacrificial de zinco em suspensão. O processo ocorre mediante energia elétrica, então, o lado negativo da fonte de alimentação é conectado à placa de aço a ser galvanizada, enquanto o lado positivo é conectado ao ânodo de zinco. Assim que a fonte de energia é ligada, os íons de zinco com carga positiva são atraídos para a placa do aço que possui carga negativa. Dessa forma, é criada a camada de proteção.

Quais as características de cada um?

O aço galvanizado é composto somente de zinco — 275g — e pode ser minimizado ou folheado. Ele possui um aspecto fosco, parecido com o alumínio, enquanto o aço galvalume possui revestimento composto de 55% de alumínio, 43,5% de zinco e 1,5% de silício de acordo com a norma ASTM A792. Ele compõe a norma do revestimento, sendo 150g dessa liga, no total.

O aço galvanizado surgiu no ano de 1741, mas, somente em 1837, o químico francês Sorel obteve a patente e o processo começou a se difundir entre os diversos setores industriais que precisavam adicionar proteção contra a corrosão das placas metálicas.

Já o aço galvalume é uma tecnologia australiana que surgiu na década de 1970, entre uma parceria de duas empresas — a Bethlehem Steel, segunda maior produtora de aço nos EUA, e o grupo siderúrgico australiano BHP Steel.

No Brasil, somente em 2004 é que o aço galvalume começou a se popularizar e a ganhar mercado, competindo diretamente com outros tipos de aço, como o inox e o galvanizado.

Os produtores do galvalume garantem que a durabilidade das peças metálicas protegidas com a liga seja, em média, nove vezes maior do que a durabilidade de uma peça galvanizada. Por essa razão, o aço galvalume é amplamente utilizado em telhas metálicas, além de promover resistência às peças em áreas mais agressivas.

Quais as aplicações desses aços?

Depois de receber o tratamento de galvanização, os aços ficam mais resistentes à corrosão e à ferrugem. Esse método pode ser usado em pregos, fios, grades, na indústria automotiva, placas de trânsito, eletrodomésticos e muitos outros.

A única contraindicação do aço galvanizado é a sua utilização em peças que entram em contato com a água do mar ou maresia, pois o zinco oxida rapidamente e sua vida útil é reduzida.

Como o aço galvalume é mais resistente, ele é indicado para ambientes mais agressivos como o marinho. Nesses casos, a durabilidade dele é maior do que do aço galvanizado tradicional.

O mercado de telhas utiliza bastante o galvalume em seus produtos: a participação que era de aproximadamente 10% na época de lançamento, hoje já alcança 80%, apresentando valores competitivos.

Antes de comprar o seu produto em aço galvalume, alguns cuidados devem ser tomados para garantir a qualidade. A empresa deve ser certificada pela ABNT, ISO e outras certificações que impactam diretamente a qualidade oferecida de seus serviços e produtos.

Por exemplo, para que a qualidade da telha não seja prejudicada, o exigido é que a telha metálica de galvalume sem pintura deva ter, no mínimo, 150g/m². O fornecedor certificado garante a qualidade e consequentemente aumenta o custo-benefício da sua obra.

Seguem algumas normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas sobre como é feito o aço galvanizado:

  • ABNT NBR 16733 (2019): Esquemas de pintura para superfícies de aço galvanizado — Proteção anticorrosiva — Requisitos;
  • ABNT NBR 10476 (2016): Revestimentos de zinco eletrodepositados sobre ferro ou aço — Especificação;
  • ABNT NBR 5920 (2015): Bobinas e chapas finas laminadas a frio, de aços de baixa liga e alta resistência, resistentes à corrosão atmosférica, para uso estrutural — Requisitos e ensaios.

Portanto, ao pesquisar sobre como é feito o aço, encontramos uma diversidade de opções que impactam diretamente o produto final. O aço pode ser usado com diferentes ligas metálicas e com isso, formar muitos produtos diferentes, cada um com sua característica predominante. O aço galvanizado e o galvalume são exemplos dessa propriedade. Ambos possuem suas características predominantes e consequentemente são escolhidos de acordo com a sua aplicação.

Quer saber mais sobre materiais em aço e como escolher um fornecedor de qualidade para as suas obras? Assine nossa newsletter e receba conteúdos gratuitamente na sua caixa de e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This