fbpx
Como usar o concreto autoadensável na sua obra?

Você provavelmente já ouviu falar do concreto autoadensável, porém, sabe quais são suas aplicações e as principais características? Sabe diferenciá-lo do concreto convencional? Esse concreto foi criado em 1988 por pesquisadores japoneses que se depararam com a necessidade de concretar, com eficiência, estruturas que apresentavam alta taxa de armadura.

Para isso, conseguiram desenvolver um concreto que apresenta elevada fluidez, mas, ao mesmo tempo, sem se separar dos elementos que o constituem, ou seja, sem segregar. Mesmo sendo desenvolvido e produzido em larga escala, foi testado realmente em 1997, quando utilizado em uma grande ponte no Japão — com mais de 4.000 metros de comprimento e com um vão central de 1.990 metros.

Quer saber mais sobre esse assunto e entender melhor as características do concreto autoadensável? Então continue essa leitura e não perca!

O que é concreto autoadensável e quais suas principais características?

O concreto autoadensável, também denominado como concreto fluido, apresenta elevada fluidez, resistência à segregação e habilidade passante. Ele não apresenta constituição semelhante à argamassa e também não necessita ser vibrado.

Ele é composto pelos mesmos insumos que compõem o concreto convencional: cimento, agregado graúdo e miúdo, aditivos, adições e água. O que varia é a dosagem e principalmente o teor de finos, que no concreto autoadensável é superior, proporcionando, também, um aumento do consumo de cimento.

Além disso, as adições e aditivos são próprios para conferir maior plasticidade e coesão para a pasta, evitando a segregação entre agregados e pasta de cimento. O resultado, além de um concreto mais coeso e fluido, que não necessita de vibração, é uma resistência final superior.

Esse concreto pode ser utilizado em diversos tipos de obras e aplicações, justamente pela ação dos aditivos que permitem que seja mais facilmente bombeado e apresente homogeneidade — conseguindo fluir facilmente em fôrmas de diversas dimensões, formatos e curvaturas, apenas com seu próprio peso.

A norma técnica que aborda o concreto autoadensável é a NBR 15823. Contudo, outras também são muito relevantes, como a NBR 12655 e a NBR 6118, que abordam respectivamente o concreto de cimento portland e o projeto de estruturas de concreto.

Como é possível utilizá-lo em uma obra?

O concreto autoadensável apresenta características muito importantes, que possibilitam diversos usos e aplicações na construção civil. Como apresenta fluidez, ele é capaz de preencher espaços sem a necessidade de algum tipo de intervenção mecânica, sendo, portanto, excelente em grandes empreendimentos.

Além disso, também apresenta estabilidade, ou seja, coesão suficiente para preencher vazios e espaços, sem que ocorra a separação dos elementos que o constituem. Por isso, são diversas possibilidades de aplicação.

As principais são:

  • nivelamento de calçadas e execução de pisos e contrapisos;
  • fundações, cuja escavação é executada por hélice contínua;
  • paredes diafragma;
  • reservatórios de água;
  • piscinas;
  • estações de tratamento de água e esgoto;
  • locais de difícil acesso;
  • estruturas pré-fabricadas e pré-moldadas;
  • painéis arquitetônicos;
  • paredes e estruturas de concreto aparente;
  • concretagem in loco de lajes, vigas e pilares — principalmente quando o número de pavimentos é elevado, as dimensões são grandes e/ou as peças estão densamente armadas;
  • estruturas que demandam elevada resistência e durabilidade.

Quais são as principais vantagens de sua aplicação?

São diversas as vantagens de utilizar o concreto autoadensável, como redução de falhas, do tempo de execução, maior durabilidade, aumento da resistência inicial, entre outras. Abaixo, você verá as principais:

Redução de falhas

Como o nome diz, o concreto autoadensável dispensa o uso de vibradores, sendo seu próprio peso responsável pelo adensamento. Dessa forma, ninhos e falhas na concretagem são reduzidas significativamente, assim problemas, como a segregação de britas. O resultado é um concreto com maior qualidade — independentemente da complexidade da estrutura ou da peça a ser concretada.

Facilitação de trabalhos em pequenas dimensões

Trabalhos em pequenas dimensões com concreto convencional são dificultados, principalmente, pela necessidade da etapa de adensamento e uso do vibrador. Além disso, a necessidade de acabamento no concreto convencional dificulta a obtenção de um bom resultado. Já o concreto autoadensável não demanda essas etapas, já apresentando um excelente resultado.

Maior durabilidade

A durabilidade do concreto está diretamente ligada à possibilidade de agentes externos entrarem no concreto e atingirem a armadura. Portanto, quanto mais falhas no adensamento, formação de ninhos, problemas na concretagem, segregação de britas, entre outros, menor será a durabilidade da estrutura. Como no concreto autoadensável essas falhas são evitadas e reduzidas drasticamente, apresentará maior durabilidade e qualidade.

Maior desempenho

O concreto auto adensável apresenta resistência ao fogo superior aos demais concretos, além de apresentar melhor desempenho do ponto de vista térmico e acústico. Com isso, reduz os custos com refrigeração e proporciona maior conforto ao usuário.

Como utilizá-lo sem elevar o custo total da obra?

O custo do concreto auto adensável, quando comparado com o do convencional, é superior. Contudo, deve-se analisar o conjunto, considerando o custo-benefício, em vez do custo isolado. Quando se analisa a redução do tempo de execução e da necessidade de mão de obra, observa-se que o custo do auto adensável é extremamente competitivo e viável — sendo interessante na fase de execução, no uso e operação da edificação.

Quais são os componentes do concreto autoadensável para aplicações em obras?

Os materiais e insumos utilizados no concreto autoadensável são semelhantes aos utilizados no concreto convencional, ou seja: cimento, agregado graúdo (em geral, brita), agregado miúdo (em geral, areia), aditivos e água.

Contudo, o que o diferencia do concreto convencional é a dosagem de cada material. Afinal, contém maior quantidade de agregados finos e menos quantidade de graúdos. Dessa forma, o consumo de cimento também é maior e recebe, além de aditivos superplastificantes que aumentam o espalhamento do concreto — sem prejudicar a resistência, adições minerais como sílica ativa ou inerte e filler calcário.

Com o aumento significativo da quantidade de finos, o concreto tem uma melhora considerável de suas propriedades no estado fresco, endurecido, somado também ao aumento da coesão da pasta e da resistência inicial.

Gostou deste texto? Entendeu como o concreto autoadensável pode ser aplicado e quais suas vantagens? Então, aproveite a visita ao blog e entenda mais sobre a construção civil e suas diversas possibilidades lendo o texto “Estrutura para telhado: aço ou madeira, qual escolher?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This