fbpx
arquiteto na obra

Sistemas construtivos que economizam materiais e agilizam as obras são sempre bem-vindos. Alguns deles ainda são novidades no Brasil e estão ficando conhecidos pela agilidade e aumento de produtividade que proporcionam às reformas e novas edificações. É o caso da construção a seco, que recebe esse nome pois não precisa de água para levantar a sua estrutura, e também dispensa areia e cimento.

Porém, muitas pessoas ainda acham que as construções a seco não proporcionam durabilidade e conforto para a edificação, por não serem tão rígidas como uma parede de alvenaria. No entanto, esse sistema suporta tranquilamente vibrações, batidas de porta, choques com móveis, entre outros. Quer saber mais sobre os sistemas de construção a seco e quais são as suas principais vantagens? Confira este artigo que preparamos para você!

O que é construção a seco?

A construção a seco é um sistema construtivo que não utiliza água na sua composição, ao contrário da alvenaria de tijolos, em que é necessário produzir argamassa para assentar as peças. Esse modelo de edificação foi pensado para ser prático, resistente e econômico.

É importante ressaltar que os sistemas de construção a seco devem ser instalados por mão de obra especializada, pois são muito diferentes de outros modelos mais utilizados.

Quais são os modelos de construção a seco?

Existem muitos modelos e materiais para construir a seco, que podem utilizar madeira, gesso, placas de concreto pré-fabricadas, entre outros. Conheça agora quais sãos os mais utilizados na construção civil.

Parede dupla de concreto

As paredes duplas de concreto são muito utilizadas na construção de shoppings e galpões industriais. Elas são formadas por módulos, que são entregues prontos na obra. Eles são constituídos por duas placas de concreto armado, e é deixado um espaço entre elas para a passagem de instalações elétricas e hidráulicas. Para proporcionar isolamento térmico e acústico, esse espaço pode ser preenchido com lã de rocha, por exemplo.

Para colocar as peças nos locais desejados, são utilizados guindastes. A fabricação das placas é feita com um sistema de corte laser, que já coloca os locais de portas e janelas. Por isso, o projeto deve ser muito bem-feito, pois não é possível fazer esses cortes na obra.

Steel frame

O Steel frame é muito utilizado no Brasil. Ele é muito versátil, pois pode ser vedado utilizando placas de OSB, de gesso ou de concreto. Entre os painéis, é feita uma estrutura de aço galvanizado, com perfis colocados a cada 60 centímetros, responsáveis por dar a resistência necessária à estrutura.

Wood frame

Esse sistema de construção a seco é composto por montantes e travessas de madeira, posteriormente envolvidos por chapas feitas do mesmo material. A parte estrutural do wood frame é fabricada em madeira maciça, e as placas são feitas do já citado OSB.

O OSB é feito a partir de lascas de madeira reflorestada, que são coladas em diferentes direções. Esse sistema é considerado sustentável, pois reaproveita pedaços de madeira para a construção das placas.

Drywall

As paredes de drywall são um dos sistemas de construção a seco mais conhecidos. Elas são constituídas por duas chapas de gesso natural, revestidas com papel-cartão em ambas as faces. A parte de gesso confere resistência à compressão, enquanto o cartão proporciona resistência à tração. Além disso, são colocados montantes de aço galvanizado para ajudar na sustentação das paredes.

Uma das vantagens desse modelo de construção a seco é a possibilidade de isolar os ambientes, adicionando enchimentos de lã mineral entre as chapas, por exemplo. Existem três tipos de drywall: a placa branca, a verde e a rosa. Veja as diferenças entre elas:

  • brancas (st): também chamadas de standard, elas são utilizadas em ambientes secos;
  • verdes (ru): as placas verdes recebem adição de silicone, o que as fazem resistentes à umidade. Portanto, são indicadas para ambientes com presença de água, como cozinhas, banheiros e áreas de serviço;
  • rosas (rf): as placas rosas têm fibra de vidro em sua composição, o que as tornam resistentes ao fogo, e são utilizadas perto de fogões e lareiras.

Para dar o acabamento, os locais de união entre placas drywall recebem duas camadas finas de pasta, com uma fita de papel entre elas. Isso uniformiza as junções, deixando as paredes prontas para receber pintura e rodapés.

Sistema de EPS

O sistema de construção a seco de EPS chegou no Brasil nos anos 1990, mas só agora está sendo mais utilizado nas obras. Esse modelo é um pouco diferente dos demais, pois é formado por placas de EPS, que são colocadas entre telas de aço, unidas por treliças. Quando é colocado no local desejado, o sistema recebe uma camada de argamassa em ambos os lados, que dá a rigidez necessária às paredes.

As maiores vantagens do sistema de EPS são a leveza do material, que corresponde a uma redução de 80% quando comparado a paredes de tijolo, e os resíduos gerados são 100% recicláveis.

Qual o impacto da construção a seco no processo construtivo?

A construção a seco proporciona muitos benefícios em relação às alvenarias tradicionais e, por esse motivo, esse modelo é cada vez mais utilizado. Confira quais são as principais vantagens.

Redução do tempo de construção

Como são eliminadas algumas etapas da obra, como a espera pela cura do concreto ou argamassa, as obras com sistemas de construção a seco podem ser até 70% mais rápidas, quando comparadas a outros métodos. Além disso, por serem materiais fáceis de manusear, ocorre o aumento da produtividade dos trabalhadores, sendo possível construir uma área de 40 metros quadrados em um dia.

Redução de custos

Com sistemas de vedação mais leves, a carga atuante na fundação diminui, o que reduz também o tempo de construção, a quantidade de equipamentos e, consequentemente, o preço total da obra.

Obra mais sustentável

Como há redução no consumo de água e pouca geração de resíduos, as obras com construção a seco são consideradas sustentáveis, emitindo até 5 vezes menos CO² na fabricação de todo o sistema, em comparação aos métodos convencionais.

Fácil manutenção

Por fim, uma das vantagens da construção a seco é a fácil manutenção. Como os sistemas elétricos e hidráulicos estão localizados entre as chapas, na ocorrência de um vazamento, basta retirar a placa, fazer a manutenção e fechá-la novamente. Não se esqueça de contratar uma equipe especializada para esse tipo de serviço.

Como você viu, a construção a seco pode agilizar muito a sua obra, eliminando processos desnecessários e o desperdício de materiais. Esse sistema tende a continuar crescendo, e a sustentabilidade e praticidade que ele proporciona vai atrair ainda mais consumidores.

Se você gostou deste artigo, aproveite para nos seguir nas redes sociais! Estamos no Facebook, Instagram, YouTube e Twitter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This