fbpx
Entenda agora por que e como substituir telha de amianto!

Se você tem um telhado feito com telhas de amianto, você tem um problema, e precisamos falar sobre ele. Não se trata de questão de estética, tendência ou decoração, mas de saúde. É preciso entender porque e como substituir telha de amianto.

Sim! Exposta ao amianto, a sua família corre risco de saúde, já que essa matéria-prima foi proibida em mais de 60 países por ser comprovadamente cancerígena e causar outras doenças pulmonares.

Neste artigo, vamos explicar que perigos são esses, como substituir telha de amianto e quais as alternativas mais baratas e adequadas para esta mudança.

Se você tem dúvidas sobre esse perigo e de como se livrar dele, continue lendo e saiba como eliminar esse risco da sua vida já.

Entenda por que o amianto é perigoso

O amianto é uma fibra mineral que é resistente a altas temperaturas, tem boa qualidade isolante, durabilidade e baixo custo. Tudo isso fez com que seu uso fosse empregado em larga escala durante o século 20.

O problema é que várias pessoas que tinham a fibra em casa, em forma de telhado ou caixas d’água, começaram a apresentar problemas de saúde — a maioria de origem respiratória, já que o corpo não é capaz de expelir as partículas inaladas do material.

Veja a seguir os principais problemas de saúde causados pela fibra:

  • O principal mal causado pela fibra é o mesotelioma, um tumor maligno que ataca o tecido que recobre os pulmões, que é extremamente agressivo;
  • A asbeastose é causada pelas fibras de asbesto — que é outro nome do amianto —  nos alvéolos pulmonares. Ela provocando uma reação inflamatória, seguida de fibrose. Por isso, a doença é conhecida também pelo nome de pulmão de pedra por causa do enrijecimento que provoca no órgão;
  • Problemas como câncer de laringe, do trato digestivo e do ovário também estão relacionados à exposição ao amianto. Em geral, as doenças relacionadas ao amianto são consideradas incuráveis. Segundo a Organização Mundial de Saúde, não existem níveis seguros para o uso da substância.

Veja as leis que obrigam a troca do amianto

Se os problemas de saúde descritos aqui não foram suficientes para fazer você querer trocar já o seu telhado de amianto por outro mais seguro, saiba que o uso dessa fibra também está fora da lei.

Em novembro de 2017, por 7 votos a 2, os ministros do Supremo Tribunal Federal decidiram que a produção, a comercialização e o uso do amianto para a fabricação de telhas e caixas d´água estão proibidos no Brasil. Antes disso, Espírito Santo, Mato Grosso, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo já proibiam a venda do produto com base nos riscos que representam à saúde.

O STF determinou ainda que o Congresso não poderá mais aprovar nenhuma lei para autorizar o uso desse material, nem que os estados editem leis que permitam a utilização do amianto.

Veja como substituir telha de amianto

A principal alegação de quem tem telhado feito com telhas de amianto é o baixo custo que esse material oferece no mercado. Mas, diante de tanto perigo e do crivo da lei proibindo o uso da fibra, vamos mostrar outros tipos de telhas, com tecnologia segura e preço competitivos para você trocar já!

Telhas de fibrocimento

São bastante populares e chegaram ao mercado para substituir as antigas telhas de amianto. Sua composição deve ter fibras sintéticas como o PVA ou o polipropileno e celulose. Se optar por esse modelo, certifique-se que o modelo comprado passa longe do amianto.

Elas são leves e mais baratas quando comparadas aos outros modelos existentes, mas absorvem muito calor e deixam o ambiente quente.

Telhas de cerâmica

São aquelas feitas de barro e bastante comuns no Brasil. Estão disponíveis em várias tonalidades e modelos (francesa, portuguesa, romana, colonial e plan) e dão um ar rústico às construções. Têm preço considerado barato no mercado, mas acabam encarecendo o resultado final, pois necessitam de uma estrutura resistente por causa do peso que produzem e de grande quantidade para cobrir pequenas áreas.

Telhas metálicas

Podem ser feitas de aço, alumínio, zinco ou uma mistura de diferentes metais. São bastante resistentes, duráveis, leves e muito usadas para cobrir grandes áreas por causa da flexibilidade de seu tamanho. Têm preço competitivo e tratamentos específicos contra a oxidação (galvanização).

Telhas termoacústicas

É um tipo de telha feita de metal e pode ser “recheada” com diversos materiais isolantes, tais como lã de rocha, poliuretano e poliestireno. É um material com ótimo isolamento térmico e acústico. O produto é inodoro, reciclável e fisicamente estável. E é o que há de mais moderno no mercado de telhas. Trata-se da opção mais recomendada em termos de durabilidade, conforto e tecnologia do setor.

Tenha cuidados extras na hora de manusear as telhas

O amianto é um elemento perigosíssimo que deve ser substituído imediatamente, uma vez que representa perigo iminente para a saúde de quem convive com o material. Uma vez inalada, a fibra do amianto não sai mais do corpo. As doenças causadas por esse elemento podem levar anos para se manifestar.

O amianto é tão perigoso que, mesmo depois de retirado da sua cobertura, deve seguir regras rígidas para o descarte, já que ele não é reciclável e tem alto poder de contaminação. O ideal é destinar o material em um aterro sanitário para lixo perigoso.

Durante a retirada da cobertura, deve-se usar máscaras e tomar todo o cuidado do mundo para não aspirar o pó que se solta do manuseio das telhas e evitar que elas se quebrem soltando pó.

No texto acima, vimos como substituir telha de amianto e que não há necessidade de se submeter ao seu uso e correr risco de vida. O mercado oferece boas e modernas opções de revestimento para todos os bolsos e estilos de cobertura de telhado. E lembre-se: o importante é garantir a qualidade na sua construção e a saúde de todos os envolvidos no processo.

Agora que você já conhece tudo sobre telhas de amianto e seus perigos para a saúde, que tal aprender um pouco mais sobre as vantagens da cobertura metálica para o seu espaço?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This