fbpx
Entenda as diferenças entre rufos e calhas e como usá-los na construção

Na hora de construir, muita gente não presta atenção à finalização da obra com o uso de rufos e calhas. O que parece ser só um item de decoração, na verdade, tem uma grande importância quando se trata de conservação da edificação, e, justamente por isso, menosprezá-los pode trazer enormes problemas para a estrutura.

Elaboramos este post para explicar para você o que são, quais as funções desses elementos essenciais e quais os melhores tipos de rufo para telhado para uso nas construções. Então, se você está construindo e quer ter a certeza de que a sua obra está segura e protegida, continue lendo e saiba tudo sobre o assunto!

Entenda o que são calhas

A calha é uma espécie de canal responsável pela coleta da água da chuva que escorre de telhados e terraços. Esse tipo de material, em geral, é feito em aço galvanizado — aquele revestido por uma camada de zinco —, que protege a peça contra a corrosão.

As características desse tipo de peça variam de acordo com o comprimento da estrutura do local, a queda de água e o tipo de telha. As calhas são usadas principalmente para proteger e evitar danos que podem ser causados devido aos efeitos da chuva nas construções, conduzindo a água dos telhados e coberturas para que não causem alagamentos, apodrecimento, mofo e umidade excessiva.

Existem diferentes tipos de calha, com funções variadas, e o modelo mais comum no mercado é o feito de PVC. Ele pode ser facilmente encontrado nas lojas de construção, mas, apesar de ser mais prático na hora de limpar, não é o mais eficiente para construções cuja coleta de água é grande, pois apresenta durabilidade limitada, por causa da leveza do material.

Em geral, para esse tipo de demanda, o ideal é utilizar as calhas de aço galvanizado — aquelas que mencionamos primeiro —, pois são bastante resistentes, sólidas e apresentam alta durabilidade na exposição ao tempo. Sem contar que têm uma aparência diferente das tradicionais, com melhor acabamento, e podem, inclusive, receber pintura, ganhando um ar mais moderno.

Além da clássica calha, aquela que forma uma espécie de canal sob os telhados, existem também as chamadas calhas de piso. Elas são usadas para escoar água de quintais, piscinas e áreas molhadas em geral. São uma espécie de canal — coberto com ralo — que conduz a água para outro lugar, evitando o acúmulo.

Saiba o que são rufos

Já os rufos são peças moldadas e fixadas para evitar que a água infiltre na alvenaria, assim como o acúmulo de sujeira e infiltrações em sua obra. Em geral, são fixados na divisão de telhas, para evitar que a água da chuva entre por ali ou, até mesmo, em paredes e muros. Isso quer dizer que eles funcionam como complementos para coberturas, lajes mistas e fachadas.

A ausência desse tipo de peça facilita a infiltração, que, inicialmente, acarreta o surgimento de manchas escuras — sinal clássico deste tipo de problema — e, na sequência, mau cheiro, mofo e até o apodrecimento da estrutura de alvenaria.

Os rufos, em geral, são feitos com chapa metálica e fixados com rebites ou pregos. Eles recebem, ainda, uma camada de argamassa em suas bordas, para que seja garantida uma vedação total do seu entorno.

Conheça os tipos de rufo

Assim como as calhas, os rufos são encontrados em vários modelos e tipos. No entanto, pelo mesmo motivo da calha, os mais adequados são os construídos em aço galvalume, aço galvanizado, que é ainda pré e pós-pintado. Essas características garantem durabilidade e beleza por muito mais tempo.

Veja, agora, a lista que preparamos com os tipos de rufo para telhado mais comuns e suas aplicações.

Com pingadeira

Apesar de não ser utilizado nos telhados, mas em muros, esse tipo de rufo serve para desviar a água da chuva e impedir que ela escorra ao longo de uma parede, causando infiltrações e manchas na estrutura — em geral, é colocado em platibandas e paredões. Além disso, pode aparecer na versão com aba em 45º e 90º ou, ainda, com aba conjugada.

Além de sua funcionalidade em função da proteção da alvenaria, a pingadeira também é uma excelente forma de dar um acabamento estético interessante para a construção. Isso, porque, além de deixar o muro bonito, garante a durabilidade da pintura que foi feita posteriormente.

Os materiais mais usados para fabricar as pingadeiras são:

  • concreto: por ser um material permeável, ele é bastante utilizado, por não deixar que a água se acumule. Além disso, sua alta resistência às intempéries também se torna ótimo motivo para atrair a atenção na hora de escolher o material;
  • aço galvanizado: existem três possibilidades de acabamento (in natura, com pintura galvite e com pintura eletrostática branca). A primeira consiste no material em seu estado natural, ou seja, sem pintura. Na segunda, o aço recebe uma camada de galvite. Já na terceira, a peça recebe uma camada de tinta antes de sua instalação;
  • granito: além da sua característica estética que agrada bastante quando o assunto é pingadeira, esse material é totalmente impermeável e muito resistente;
  • plástico: essa é uma opção utilizada quando o assunto é economia. Apesar de não parecer, é bastante durável e — o melhor — fácil de ser instalada.

Com pingadeira dupla

Esse modelo de rufo é bastante semelhante ao primeiro mencionado, a diferença é que ele é colocado nos dois lados da parede para evitar que a água penetre nessa estrutura em ambas as partes — ou seja, interior e exterior da alvenaria.

De capa

Como o próprio nome sugere, esse modelo de rufo funciona como uma proteção para a alvenaria — como uma espécie de chapéu para o topo de um muro. Assim, é possível evitar que a água que escorre pelo telhado penetre ou fique empoçada no muro que está exposto à chuva.

De encosto

Apesar de não ter a característica de caída, esse modelo é bastante utilizado para cobrir espaços entre telhas e paredes, impedindo que a água da chuva passe por esse vão. Além disso, esse tipo de rufo também pode ser utilizado com o de capa, protegendo ainda mais a estrutura contra os efeitos das intempéries.

Verifique o funcionamento das peças

A aplicação dessas peças é fundamental para que a sua construção esteja o máximo possível protegida contra a chuva. Além disso, o controle de funcionamento dessa estrutura também deve ser feito de perto, para que a sua funcionalidade esteja garantida com a maior eficiência que as peças podem oferecer.

O melhor momento para avaliar o funcionamento de calhas e rufos é durante uma chuva de grande intensidade, em que o proprietário deve observar se o escoamento da água está ocorrendo adequadamente e se existe algum sinal de vazamento ou goteira ou a formação de alguma mancha/descascado na parede interna — tudo isso pode ser uma indicação de que está ocorrendo uma infiltração.

Caso algum desses problemas citados seja notado na estrutura, é preciso fazer a revisão das peças e verificar se a vedação está adequada ou se é preciso substituir algum item. No caso das calhas, é preciso lembrar de fazer uma limpeza periodicamente, verificando se a sua passagem está obstruída por folhas ou outros tipos de sujeira, impedindo o seu perfeito funcionamento.

Saiba como é feita a instalação

A instalação dessas peças deve receber uma atenção especial e ser realizada por um bom profissional, que garantirá que tudo seja executado da maneira correta, assegurando o bom funcionamento e durabilidade de todas as peças. Isso, porque, como já mencionamos, a má colocação pode acarretar vazamentos e danos no material, colocando todo o trabalho de proteção a perder.

Além disso, como vimos, os rufos e as calhas são estruturas fundamentais para que a proteção da sua construção seja garantida com o máximo de eficiência, seja ela de uma casa, seja de um edifício ou, até mesmo, de um simples muro.

Isso, porque elas cuidam para que o escoamento da água da chuva ocorra perfeitamente, sem que empoce e traga problemas para a estrutura de alvenaria — ou, até mesmo, para a estética do ambiente interno ou externo.

Há, ainda, a possibilidade de uso de calhas para o chão, para as áreas de piscinas ou que ofereçam algum tipo de acúmulo de água. No entanto, é importante lembrar que todas elas têm a mesma função: escoar os fluidos sem que ocorra um contato direto com a alvenaria.

Na hora de colocar essas estruturas para garantir a segurança de sua construção, é importante escolher produtos que sejam de empresas certificadas e reconhecidas pelo mercado. Afinal, elas serão capazes de oferecer o melhor para sua obra, fazer indicações de acordo com sua necessidade e ainda desenvolver tudo sob medida para o seu tipo de edificação.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre os tipos de rufo para telhado e quais são as diferenças entre eles e as calhas, o que acha de conferir as dicas que preparamos sobre como acabar com a infiltração no seu telhado de uma vez por todas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This