fbpx
Estrutura para telhado: aço ou madeira, qual escolher?

Estrutura para telhado: aço ou madeira, qual escolher?

Durante a fase de escolha dos materiais e definição da estrutura para telhado de uma obra, poucas pessoas consideram utilizar a estrutura metálica. Apesar de parecer um pouco diferente, esse tipo de telhado pode ser uma alternativa interessante.

É importante lembrar que o principal objetivo do telhado é proteger uma edificação da ação de intempéries e, ainda, atuar como um regulador térmico dos ambientes. Sendo assim, sua estrutura deve ser capaz de suportar o peso próprio de seus componentes, do revestimento, de materiais de isolamento, de cargas de ventos e dos demais elementos que estejam fixados.

O projeto estrutural pode ser extremamente simples, dependendo de cada caso. Contudo, definir a matéria-prima de execução é fundamental para o empreendimento. Essa escolha pode gerar economia de recursos e, principalmente, de tempo.

Você sabe qual tipo de estrutura para telhado escolher: aço ou madeira? Continue a leitura deste artigo e veja as principais informações sobre cada uma dessas alternativas.

Quais são as principais características do aço?

As estruturas de aço estão começando a ser utilizada no Brasil, e  entre as vantagens destaca-se a rapidez de instalação e a menor geração de resíduos. Esse tipo de estrutura normalmente é produzida em fábricas, necessitando apenas de montagem no canteiro de obras.

Dessa forma, é possível evitar o desperdício de material e, ainda, evidenciar a agilidade do processo. Comparado com a estrutura de madeira, a velocidade de execução do aço chega a ser três vezes maior.

Outro ponto que merece certa atenção em relação às estruturas de aço é o fato de elas contribuírem para o meio ambiente. O seu uso, em detrimento das estruturas de madeira, evita o desmatamento de árvores e, caso aconteça a sobra de materiais, podem ser utilizados para outros fins.

O preço para a fabricação de estruturas de aço está diretamente relacionado com o seu peso. Então, quanto mais leve é a estrutura para as telhas, mais econômica ela é. Por fim, mas não menos importante, esse tipo de estrutura é produzida com precisão milimétrica, ou seja, a tolerância aos erros é baixíssima.

Quais são as vantagens e desvantagens da estrutura de aço?

As estruturas de aço apresentam alguns pontos que merecem o destaque e que, certamente, fazem a diferença na hora de escolher a melhor estrutura para o telhado. É importante evidenciar que esse tipo de estrutura precisa da devida proteção contra ferrugem, garantindo uma vida útil maior. Veja a seguir mais vantagens e desvantagens.

Vantagens da estrutura para telhado de aço

  • peso próprio: a estrutura metálica é mais leve que a de madeira e que a de concreto. Assim, podemos contar com peças mais esbeltas e que sobrecarreguem menos a fundação;
  • prazo de execução: quando os primeiros serviços da obra começarem, a fabricação da estrutura metálica também pode iniciar. Assim, quando chegar o momento certo é preciso apenas instalá-las (por meio de aparafusamento, soldagem ou arrebitamento);
  • organização: o canteiro de obras fica mais organizado, pois as peças são produzidas em fábricas e apenas montadas na obra. Além disso, não há desperdício de materiais;
  • amiga do meio ambiente: além de reduzir o desmatamento, esse tipo de estrutura pode ser desmontada e reaproveitada. É importante lembrar que o aço é 100% reciclável e o desperdício em sua utilização é praticamente zero;
  • garantia de qualidade: como a sua produção é industrial e as fábricas obedecem a controles de qualidade, o produto final dificilmente apresenta grandes problemas;
  • alta resistência contra intempéries.

Desvantagens da estrutura para telhado de aço

  • mão de obra especializada: a escolha do aço para estrutura do seu telhado necessita de mão de obra qualificada, o que pode ser difícil de encontrar no Brasil. Obviamente, essa mão de obra é mais cara quando comparamos com a instalação da estrutura de madeira.
  • desembolso em curto prazo: como a fabricação e a montagem são atividades rápidas, o desembolso com a sua estrutura deve ser feito em um tempo menor, quando se compara com as estruturas de madeira.
  • tratamento: o aço necessita de um tratamento especial com tinta para garantir sua proteção contra corrosão, garantindo a sua durabilidade.

E as características da estrutura de madeira?

A madeira é um dos materiais de construção mais antigos e mais utilizados em todo o mundo. Em quase todas as obras é possível encontrar a aplicação dessa matéria-prima. O seu peso próprio é uma das vantagens, que chega a ser um terço mais leve que as estruturas de aço.

Os custos de mão de obra também não são altos, pois a sua construção é simples, não necessitando de conhecimentos especiais. Já o seu preço pode variar demasiadamente, principalmente por conta da qualidade das peças a serem utilizadas. Sendo assim, seu telhado pode sair caríssimo ou pode ter um preço em conta.

A madeira ainda é amplamente utilizada em estrutura para telhado. Obviamente, é preciso dar o devido tratamento, garantindo a sua durabilidade. Contudo, as recentes preocupações com o meio ambiente e a constante necessidade de diminuir o tempo de construção das edificações está fazendo com que a madeira fique em segundo plano.

Quais são as vantagens e desvantagens da estrutura de madeira?

Assim como as estruturas de aço, as estruturas de madeira apresentam alguns pontos interessantes. Não podemos deixar de mencionar que a madeira está sujeita à ação de cupins, à variação de temperatura e outras interferências. Veja, a seguir, mais vantagens e desvantagens.

Vantagens da estrutura para telhado de madeira

  • disponibilidade: a madeira é um material fácil de ser encontrado e fácil de ser manuseado;
  • as ligações e emendas são simples de serem executadas;
  • a madeira é natural, reaproveitável e renovável;
  • o custo de aquisição e instalação é relativamente baixo;
  • não exige a contratação de mão de obra de alta qualificação;
  • não necessita de equipamentos e ferramentas específicas;

Desvantagens da estrutura para telhado de madeira

  • a madeira é um material orgânico e heterogêneo, ou seja, pode apresentar muita variação entre as peças;
  • a madeira absorve e perde umidade com facilidade;
  • a dilatação e a contração também ocorrem com frequência, permitindo alterações em suas dimensões;
  • é preciso tratá-la contra o ataque de insetos e fungos;
  • é preciso prover um tratamento antichamas;
  • uma viga de madeira exige o corte de uma grande árvore;
  • a sua utilização propicia ações de desmatamento.

Obviamente, a escolha da melhor estrutura para telhado depende de inúmeros fatores. Analisar as vantagens e desvantagens do aço e da madeira é de grande valia para essa definição. É preciso colocar no papel, identificar os pontos mais importantes para a sua obra e, assim, realizar a melhor escolha possível.

E aí, gostou do nosso artigo? O que achou das opções de estrutura para telhado? Costuma se interessar pelo tema? Então curta nossa página no Facebook, siga-nos no Twitter e acompahe todas as nossas postagens!

Segurança na Construção Civil: 6 riscos para saúde do trabalhador

Segurança na Construção Civil: 6 riscos para saúde do trabalhador

A segurança na Construção Civil é um tema extremamente sério e que exige uma série de preocupações e cuidados. É preciso lembrar que o setor é considerado um dos mais perigosos para se trabalhar.

Os trabalhadores estão sujeitos a inúmeros tipos de acidentes. Infelizmente, muitos deles resultam da negligência de líderes e gestores, que deixam de oferecer as condições mínimas de segurança por conta de uma economia irresponsável.

Em outras situações, a responsabilidade é do próprio trabalhador, que não utiliza os devidos Equipamentos de Proteção Individual (EPI). Assim, a melhor maneira de diminuir os riscos à saúde dos trabalhadores se dá pelo conhecimento das principais ameaças e pela definição de maneiras para mitigá-las.

Ficou interessado pelo assunto? Então, continue a leitura deste artigo e conheça 6 riscos para saúde do trabalhador em termos de segurança na Construção Civil.

1. Tenha cuidado com as quedas de nível

As quedas de nível, ou seja, as quedas que ocorrem em atividades em altura, estão entre os acidentes mais comuns. Toda obra que necessita da execução de trabalhos em altura exige extrema atenção e cuidado.

Os colaboradores devem ter ciência dos riscos, pois qualquer erro pode gerar graves consequências. A queda de um profissional ou a queda de um determinado material são capazes de causar danos importantes nos trabalhadores.

Para preparar e treinar corretamente os colaboradores, é necessário seguir as recomendações para trabalho em altura da Norma Regulamentadora 35 (NR-35). Além disso, os profissionais também devem saber operar os equipamentos necessários, evitando maiores problemas.

2. Preste atenção na movimentação de objetos e materiais

Em alguns casos, é necessário realizar a movimentação de objetos e materiais, principalmente em grandes construções. É evidente que, caso o processo não seja devidamente realizado, será mais fácil acontecer quedas desses materiais, que podem atingir os trabalhadores.

É importante deixar claro que a movimentação de objetos e materiais pode ser realizada de diversas formas, como por meio de caminhões, empilhadeiras, carrinhos de mão, elevadores de carga, guindaste e outros.

Então, os acidentes podem variar de pequenos ferimentos a fatalidades. Logo, é fundamental que todos os colaboradores estejam utilizando os devidos EPI’s, garantindo sua segurança na Construção Civil.

Não podemos deixar de mencionar que a área destinada à movimentação de cargas pesadas deve ser devidamente sinalizada e os trabalhadores que não estiverem envolvidos no processo não devem transitar nesses locais.

A NR-11 é a Norma responsável por definir medidas de controle de movimentação de cargas. Então, não deixe de conferi-la.

3. Tenha cuidado com fios elétricos expostos

Choques elétricos podem ser originados por conta de fios elétricos expostos ou da qualidade dos equipamentos. Nesses casos, é preciso verificar se todos os equipamentos estão em condições ideais de uso, tomando as medidas cabíveis se não estiverem.

É preciso deixar claro que a prevenção de choques elétricos se dá por um ambiente que esteja devidamente protegido, no qual os trabalhadores estejam portando equipamentos de segurança e, principalmente, tenham consciência das medidas de segurança.

Os profissionais que trabalham diretamente com eletricidade devem passar por um treinamento obrigatório da NR-10, o qual os habilitará para a realização de tais atividades.

4. Lembre-se de sinalizar o canteiro

Outro problema de segurança na Construção Civil é a falta de sinalização no canteiro de obras. Contar com um canteiro devidamente organizado e sinalizado é sinônimo de diminuição dos riscos.

Para tanto, é preciso que todos os equipamentos e ferramentas utilizados na obra estejam devidamente armazenados em local apropriado. Além disso, a sinalização deve ser previamente pensada, informando às pessoas sobre os riscos daquele local e indicando os principais pontos de atenção e a saída de emergência, por exemplo.

Podemos dizer que a sinalização é primordial para garantir a segurança no ambiente de trabalho. Contudo, além de sinalizar, é preciso garantir que os colaboradores sigam as regras e medidas de segurança estabelecidas. Isso garantirá que eles não corram riscos desnecessários.

5. Tenha consciência dos ruídos em excesso

Normalmente, uma obra envolve a execução de várias atividades simultâneas. Sendo assim, é possível encontrar esmerilhadeira, empilhadeira, caminhão, furadeira, serra circular, guindaste, marreta e tantos outros equipamentos e materiais sendo utilizados ao mesmo tempo.

O barulho causado por eles é quase insuportável, não é mesmo? Obviamente, essa simultaneidade nem sempre será presente, mas é preciso ter consciência dos ruídos em excesso.

Caso os protetores auriculares (um tipo de EPI) não sejam utilizados, a combinação dessas emissões pode gerar a perda auditiva do colaborador. Esse problema pode se transformar em uma PAIR (Perda Auditiva Induzida por Ruído Ocupacional), que não apresenta cura.

A melhor maneira de evitar a ocorrência de ruídos excessivos é utilizar as normas NR-9 e NR-15, específicas para segurança contra ruídos.

6. Evite contato regular com agentes nocivos à saúde

Alguns animais são facilmente encontrados em canteiros de obras, como cobras, aranhas, escorpiões, vespas e outros animais peçonhentos. Então, antes de iniciar os trabalhos, é preciso verificar se há presença de algum deles.

Além disso, o uso de EPIs, como botas, luvas e máscaras, será fundamental para a proteção contra picadas desses animais. Quando grandes concentrações forem encontradas, como colmeias, é importante chamar o Corpo de Bombeiros para sua retirada.

É necessário destacar também a exposição dos trabalhadores a produtos químicos, como metais (chumbo, cobalto e mercúrio), gases asfixiantes (cianeto, monóxido de carbono e nitrato de butila) e solventes orgânicos (tuleno, estireno, tricloroetileno, butanol e outros).

Essas substâncias podem causar inúmeros problemas, como simples dores de cabeça até o surgimento de câncer.

Os agentes químicos presentes em materiais como cal, cimento, argamassa e concreto podem causar problemas sérios à saúde dos colaboradores. Quando há contato sem a devida proteção, será possível identificar dermatoses e alergias, além de outros problemas.

Garantir a segurança na Construção Civil não é uma tarefa fácil. É preciso investir na capacitação dos colaboradores, mostrando a eles a importância de utilizar os EPIs e as principais medidas de segurança exigidas por cada situação.

Outro ponto importante é fornecer todos os equipamentos e treinamentos necessários, que devem ser vistos como investimentos e não como custos adicionais. Os profissionais passarão a executar suas funções de acordo com as normas, diminuindo o número de acidentes e, consequentemente, valorizando sua empresa.

Dessa forma, seu negócio será bem-visto no mercado, além de evitar o custo com processos judiciais, substituição dos profissionais e eventuais indenizações. Pense nisso!

E aí, o que achou dos riscos para a saúde do trabalhador em termos de segurança na construção civil que destacamos? Foram válidos? Então, não deixe de conhecer 5 inovações na Construção Civil!

Você sabe o que é a realidade aumentada em obras de engenharia civil?

Você sabe o que é a realidade aumentada em obras de engenharia civil?

O mundo da construção civil está contando com novas tecnologias a cada dia que passa. Atualmente, por exemplo, já podemos ver a aplicação de recursos como a realidade aumentada.

Essa inovação tecnológica, em conjunto com a realidade virtual, está ganhando mercado, e se tornando uma ferramenta fundamental para o trabalho de engenheiros e arquitetos. Pode-se dizer que as principais empresas de software estão investindo no campo da engenharia civil.

Entretanto, você sabe como a realidade aumentada pode ser usada em obras de engenharia civil? Continue a leitura deste artigo e entenda!

O que é e como funciona a realidade aumentada?

Muitas pessoas confundem realidade virtual com realidade aumentada. Ambas oferecem uma percepção única do lugar onde estamos, mas existem diferenças importantes entre elas.

A realidade virtual é uma tecnologia que nos permite vivenciar mundos que não existem fisicamente, por meio de equipamentos que passam a impressão de estarmos no ambiente gerado pelo computador.

Pode-se dizer que essa tecnologia trata de uma simulação que proporciona uma interação de ambientes sintéticos de forma virtual.

A realidade aumentada, por sua vez, aumenta a percepção sobre o mundo real, como sugere o nome. Por meio da sobreposição de imagens, é possível criar a sensação de que os objetos virtuais estão presentes no mundo real.

O software é capaz de combinar elementos da realidade virtual no ambiente físico. Sendo assim, podemos afirmar que essa tecnologia complementa o mundo real, sobrepondo ou estabelecendo objetos virtuais a ele. Dessa forma, haverá uma nova visão do ambiente em que estamos.

Concluindo, a realidade virtual e a realidade aumentada fazem parte de um conceito mais amplo, chamado de realidade misturada, que busca a representação do ambiente real, em uma extremidade, e do ambiente virtual em outra. Nesse intervalo, se encontra a realidade aumentada.

Como a realidade aumentada pode ser empregada na construção civil?

A realidade aumentada pode ser utilizada em quase todas as etapas de um projeto. A fase de elaboração de projetos, por exemplo, permitirá a verificação do empreendimento no ambiente real, identificando aspectos importantes relativos às dimensões e à compatibilidade da edificação.

É válido destacar que as atividades de se projetar construções, como prédios, casas e praças, são realizadas há um bom tempo. Alguns anos atrás, ela passou por uma drástica mudança, com a inclusão dos desenhos de computador.

Assim, se tornou possível projetar plantas digitalmente, o que representou um grande avanço para o setor. Contudo, a realidade aumentada e a possibilidade de se projetar e visualizar um projeto em três dimensões é outro avanço tecnológico considerável.

Agora, podemos projetar uma casa e mostrar todos os detalhes para o cliente, por meio de computador ou utilizando dispositivos móveis (smartphones e tablets). Particularidades como a metragem e as variações na decoração poderão ser discutidas antes do início das obras. Fantástico, não é mesmo?

Um software interessante para a utilização de recursos de realidade aumentada é o Microsoft HoloLens. Esse produto já é bastante utilizado no campo da medicina, projetando modelos tridimensionais e realistas do corpo humano. 

No âmbito da engenharia civil, o programa é capaz de trazer inovações consideráveis para seu canteiro de obras. Vale a pena conhecê-lo.

Como a realidade aumentada pode impactar no andamento de uma obra?

Agora que você já compreendeu o impacto que a realidade aumentada traz para a atividade de elaboração de projetos, é preciso compreender como esse recurso pode interferir no andamento das atividades de uma obra.

É interessante destacar que as grandes empresas do mercado já estão utilizando a realidade aumentada para melhorar a produtividade na construção civil. O uso de tecnologias específicas, como o Microsoft HoloLens, oferece vantagens consideráveis.

Esse recurso permite a interação a partir de hologramas gerados virtualmente no espaço real. Então, é possível que os profissionais se movam pela obra, comparando a área construída com aquilo que foi projetado.

Em outras palavras, será possível criar um controle remoto e em tempo real entre os principais participantes do projeto, mesmo quando eles estiverem em diferentes locais. O engenheiro poderá trocar informações com o arquiteto ou com qualquer outro profissional da obra.

Logo, o progresso da construção, a evolução das etapas e o andamento das atividades serão tarefas mais facilmente executadas, apresentando resultados melhores em um tempo menor, aumentando a produtividade nas obras.

Além disso, será possível realizar simulações, como em relação ao comportamento acústico de um compartimento ou a visualização dos pontos térmicos em um edifício.

O que mais pode ser modificado com a realidade aumentada?

Obviamente, existem outros pontos que podem ser modificados com o uso da realidade aumentada na construção civil. Itens como a exatidão dos cálculos e a visualização das estruturas são algumas vantagens.

Os cálculos já são realizados por computadores, porém a sua aplicabilidade na vida real ainda depende da construção. Agora, será possível refinar o processo, possibilitando a execução de cálculos mais certeiros.

É importante destacar que as estruturas são fundamentais em qualquer edificação. Um erro, por menor que seja, pode ser capaz de comprometer toda a construção. Nesse ponto, a realidade aumentada permitirá a verificação dos principais pontos críticos, antes de finalizar a construção. Assim, ajustes e correções poderão ser realizadas sem maiores problemas.

Dessa forma, o custo de tais mudanças e o impacto que elas terão no cronograma de obras será bem menor. Os engenheiros e arquitetos se sentirão mais tranquilos em relação aos principais problemas.

Será possível melhorar os aspectos gerais de um projeto?

É sabido que os principais problemas de um projeto de construção civil se dão em relação ao cumprimento do planejamento, ao custo da obra, à gestão de riscos e à comunicação.

A realidade aumentada também pode ser vista como uma grande alternativa para a gestão de riscos. A partir das visualizações tridimensionais, será possível identificar os pontos que merecem mais atenção durante o andamento das atividades.

Dessa forma, toda a equipe poderá trabalhar em conjunto para mitigar as ameaças e potencializar as oportunidades, com tempo hábil para cada uma dessas atividades. Será mais fácil cumprir com o que foi planejado e com o que foi orçado.

Em termos de comunicação, podemos destacar que a possibilidade de se contar com atualizações em tempo real e permitir que os colaboradores atuem e discutam sobre o projeto, remotamente, é uma grande vantagem.

Os profissionais não trabalharão mais com arquivos obsoletos e não precisarão da presença de alguém no canteiro de obras para a solução de um problema específico. A realidade aumentada será capaz de demonstrar as principais falhas da obra, independentemente do local em que os responsáveis estejam. Vale a pena investir, não é mesmo?

E então, gostou das informações que destacamos sobre a realidade aumentada na construção civil? Assine nossa newsletter e receba todos os nossos conteúdos, em primeira mão. Não deixe para depois!

Como aplicar o gesso projetado na sua obra? Descubra!

Como aplicar o gesso projetado na sua obra? Descubra!

Uma das principais inovações da construção civil que está sendo amplamente empregada é a aplicação de gesso projetado nas obras. Esse material exige uma mão de obra especializada, mas, mesmo assim, é considerado de baixo custo. Sua aplicação é mais rápida que o método convencional e o acabamento é de excelente qualidade.

É importante destacar que o gesso projetado pode ser aplicado em ambientes internos, sobre alvenarias e elementos estruturais. A única restrição para a sua utilização se dá em ambientes externos e em áreas molhadas. 

Dentre as principais vantagens, podemos destacar a eliminação das fases de chapisco, emboço e reboco. Uma única aplicação já é capaz de proporcionar um bom acabamento, provendo maior velocidade na execução dos revestimentos. 

Você sabe como aplicar o gesso projetado na sua obra? Não? Então, continue a leitura deste artigo e descubra!

Verifique se a superfície de aplicação está limpa

Antes de se iniciar a aplicação do gesso projetado é preciso certificar que a alvenaria já está finalizada, acunhada e, principalmente, limpa e regularizada. Rebarbas de argamassa e outras características que possam comprometer sua planicidade devem ser removidas. 

Além disso, não pode haver manchas de materiais que diminuam a aderência do gesso, como óleos, graxas, tintas e outros itens. Pregos, arames, pontas de barra de aço e partes soltas também devem ser removidas. 

Os contramarcos e batentes metálicos, quando utilizados, devem estar devidamente assentados. Já na estrutura de concreto armado (vigas e pilares) deve-se aplicar cola branca com água (na proporção de 1 litro de cola para 10 litros de água), aumentando a aderência da estrutura com o gesso. Esse processo deve ser realizado 24 horas antes da aplicação do gesso projetado. Por fim, as instalações elétricas e hidráulicas devem estar executadas, se encontrando devidamente protegidas. 

Faça a mistura para a aplicação do gesso projetado

A mistura é uma das partes mais importantes para a aplicação do gesso projetado. A solução é formada por base de calcário, gesso em pó e aditivos para melhorarem a adesão. 

Para conseguir atingir a mistura ideal é preciso utilizar o mesmo equipamento que fará a projeção. Caso contrário, se pode realizar a mistura de maneira individual, transferindo, posteriormente, o produto para o equipamento de aplicação.

É fundamental preparar uma quantidade que seja suficiente para a aplicação em toda a superfície, antes do início da pega. Outro ponto que deve ser levado em consideração é a relação água/gesso, que deve respeitar as recomendações do fabricante.

Defina as áreas de projeção e a espessura do revestimento

O próximo passo para a aplicação de gesso projetado se dá pela definição das áreas de projeção e a espessura de cada revestimento. Em termos de espessura, podemos dizer que ela deve ser entre 1,5 cm e 2 cm. 

A melhor maneira de realizar as demarcações é por meio de taliscas (aquelas peças quadradas de cerâmica ou madeira). Caso seja necessário, pode-se realizar duas camadas de projeções, logo após o completo endurecimento da primeira camada. 

É aconselhado umedecer a área em que será aplicado o gesso projetado, antes de se iniciar o procedimento. A projeção de água é essencial para a superfície de alvenaria. Já no concreto armado, a umidificação deve ser realizada somente se for necessário. O próximo passo é a aplicação do gesso projetado. 

Projete o gesso sempre de baixo para cima

O gesso projetado deve ser aplicado de baixo para cima, na horizontal e, apenas uma linha por vez, até que toda superfície esteja coberta. Quando a aplicação for sobre uma laje, o sentido adotado deve ser único.

As superfícies de EPS, por sua vez, precisam ser chapiscadas antes da projeção do gesso. Já as estruturas de concreto armado precisam ser preparadas com chapisco rolado, buscando eliminar possíveis descolamentos do gesso, por conta dos desmoldantes das formas de concretagem. 

É importante deixar claro que a aderência do gesso projetado é feita diretamente sobre a superfície da estrutura, sem a necessidade de qualquer outro tipo de tratamento. Os aditivos são utilizados para controlar o tempo de trabalho e o seu nível de aderência à base. 

Sendo assim, pode-se afirmar que a velocidade de aplicação se deve à utilização de equipamentos específicos para a projeção, aumentando a produtividade dessa etapa e consumindo a mesma quantidade de mão de obra. 

Faça o sarrafeamento do gesso

O sarrafeamento é a próxima etapa para a correta aplicação do gesso projetado. Essa atividade deve ser realizada com a utilização de uma régua de alumínio, do tipo H, sempre de baixo para cima e na posição vertical, buscando regularizar o revestimento e eliminar todo o excesso de material. 

As sobras de gesso não podem ser reutilizadas e, caso haja falhas na superfície, deve-se realizar a projeção novamente. Por isso, é importante se preocupar com a limpeza e regularização das superfícies. 

É válido afirmar que as atividades de projeção e sarrafeamento podem ser realizadas em sequência. Então, quando um profissional iniciar a projeção do segundo plano, outro profissional pode iniciar o sarrafeamento do primeiro plano projetado.

Finalize o serviço de aplicação do gesso projetado

Como já era de se esperar, a última etapa é o acabamento. O ideal é esperar em torno de 2 horas para iniciar essa etapa. Também é válido aguardar o tempo necessário para que a superfície não se deforme, podendo iniciar o alisamento e o fechamento dos poros. 

O acabamento é feito por meio de uma desempenadeira de esponja de látex ou uma desempenadeira de PVC. Caso a esponja seja a escolhida, será preciso deixá-la úmida para a correta realização do acabamento.

Assim, a desempenadeira deve ser passada sobre a superfície que foi revestida, realizando sempre movimentos circulares e jamais fazendo pressão sobre o gesso. O movimento deve ser realizado até que a superfície fique lisa. 

Pode-se dizer que a superfície deverá apresentar uma textura parecida como uma argamassa comum, ideal para assentamento de peças cerâmicas. Caso a pintura seja aplicada, é preciso realizar um acabamento específico. 

O gesso projetado é uma alternativa extremamente interessante, principalmente pela velocidade de execução, aumentando a eficiência nos canteiros de obra e provendo um resultado final de qualidade semelhante. Vale a pena investir nessa tecnologia.

E aí, gostou do nosso artigo? Agora que você descobriu como é feita a aplicação de gesso projetado nas obras, confira as outras 5 inovações na construção civil que você precisa conhecer!

Telhas Galvanizadas: o que elas são e quais seus benefícios?

Telhas Galvanizadas: o que elas são e quais seus benefícios?

Nos últimos anos surgiram diversas inovações na construção civil. Em termos de coberturas, por exemplo, podemos destacar o uso de telhas mais leves e resistentes. Contudo, ainda existem alguns materiais que são utilizados há muito tempo, como as telhas galvanizadas.

No Brasil elas se destacam: são usadas desde os anos 1950 e até hoje são empregadas nos mais diferentes empreendimentos, principalmente em locais que necessitam de estrutura mais pesada, como galpões, fábricas e indústrias.

Obviamente, esse tipo de material apresenta vantagens consideráveis, principalmente em relação à economia e à agilidade na construção. Ficou interessado pelo assunto? Então, continue a leitura deste artigo e veja o que são telhas galvanizadas e quais são seus benefícios.

Quais são os materiais utilizados nas telhas galvanizadas?

Antes de mais nada, é preciso destacar que o aço galvanizado pode ser reciclado e ter uma vida útil de até 300 anos  Ou seja, é um excelente material para ser empregado na construção civil.

Dentre os principais materiais utilizados na galvanização, podemos destacar o zinco, que é a matéria-prima principal. O aço é banhado em zinco fundido, protegendo-o contra a oxidação, ou seja, a ferrugem.

Dessa forma, pode-se dizer que o trabalho com aço galvanizado não exige cuidados especiais, além de não haver risco de fissura ou quebra. A diferença existente se restringe à vida útil nos locais em que forem aplicados: ambientes rurais, urbanos ou marítimos.

É válido ressaltar que a camada de zinco aplicada no aço é um ótimo meio para proteger  o substrato ou seja, o aço base, além de apresentar um bom custo-benefício. A telha galvanizada pode ser utilizada em qualquer projeto, pelo fato de ser produzida sob medida, evitando o desperdício de materiais nas obras.

Quais são suas características?

Como já foi destacado, as telhas galvanizadas são produzidas sob medida de até 12 metros, apresentando largura de acordo com cada modelo e comprimento desejado pelo cliente. A economia de materiais, por conta do desperdício, pode chegar a 60%.

Uma das principais características do aço galvanizado é que ele é inquebrável. Em outras palavras, é capaz de oferecer segurança na manutenção e na montagem da estrutura.

A galvanização também é fundamental para aumentar a resistência da cobertura, principalmente em relação às intempéries. A ação de fatores climáticos, como ventos, chuvas e umidade não serão mais um problema para sua edificação.

Telhas termoacústicas

Não podemos deixar de mencionar as telhas termoacústicas, que são um dos tipos de telhas galvanizadas. Essas telhas estão sendo empregadas em Green Buildings e em edificações sustentáveis, sendo compostas por materiais isolantes em meio às chapas de aço galvanizado.

Um dos materiais usados como isolantes é o poliestireno (EPS) ou o poliuretano (PU), além da lã de rocha, vidro ou PET. Independentemente do material escolhido, sua função é formar uma barreira, impedindo que o som e o calor transpassem o ambiente. Então, em locais frios o objetivo é reter o calor e em locais quentes o calor deve ser mantido fora da edificação.

Veja algumas vantagens do uso de telhas termoacústicas:

  • não absorção de temperatura;
  • redução de ruídos externos;
  • economia de energia elétrica (por conta da redução do uso do ar-condicionado ou de aquecedores);
  • utilização de materiais recicláveis;
  • alta durabilidade;
  • alta resistência;
  • processo de montagem limpo e rápido;
  • redução da emissão de CO2 (economia gerada nas cargas de refrigeração).

Quais os tipos de telhas galvanizadas?

As telhas termoacústicas não são os únicos tipos de telhas galvanizadas existentes. Há vários outros, como as telhas onduladas, as telhas calandradas, as telhas pré-pintadas, as telhas perfuradas, as telhas forro, as telhas multidobras e as telhas metálicas simples. Aprenda mais sobre algumas delas:

Telha ondulada

As telhas onduladas são usadas para coberturas e fechamentos laterais, devendo ser escolhidas para empreendimentos que necessitem de alta durabilidade aliada com resistência mecânica.

Telha calandrada

As telhas calandradas (trapezoidais e onduladas) são mais empregadas em coberturas em arco e fechamentos laterais. O seu arqueamento gera um perfil curvo, liso e sem nenhum trecho plano — a peça é curvada em todo o seu comprimento. Exige-se o uso dessa telha em locais que necessitam de pequenos raios, como passarelas e fachadas curvas.

Telhas pré-pintadas

As bobinas de aço são pintadas antes de serem transformadas em telhas. Antes da pintura se aplica um material epóxi, sendo essa ação considerada um tipo de acabamento.

As telhas pré-pintadas são vendidas em inúmeras cores, sendo de fácil manutenção, alta durabilidade e apresentando grandes vantagens estéticas.

Mas você deve estar pensando: qual a diferença entre a telha pré-pintada e a pós-pintada? A durabilidade. As telhas pré-pintadas são produzidas para durar 30 anos, enquanto as pós-pintadas apresentam durabilidade de, apenas, dois anos, em termos de pintura.

Telhas perfuradas

Esse tipo de telha é comumente utilizado como isolante visual, proporcionando privacidade ao local. Por isso, ela é indicada para ambientes que necessitam de ventilação, segurança e harmonia.

O seu principal uso se dá em relação à reverberação acústica, adquirida pela aplicação da lã de rocha. Muitas vezes, as telhas perfuradas são consideradas elementos de design, sendo utilizadas como peças decorativas.

Telhas forro

As telhas forro são compostas pela telha trapézio, em diversos moldes, na sua parte superior. Já na parte inferior elas são feitas de uma chapa de aço, que pode ser trapezoidal ou no formato de um forro (sem trapézios).

Esse tipo de telha apresenta acabamento similar ao de um forro natural e é preenchida com material termoacústico, gerando uma camada isolante que diminui, consideravelmente, a troca de temperatura entre o ambiente interno e o externo.

Telhas multidobras

As telhas multidobras também são um dos tipos de telha galvanizada que merecem destaque. O seu diferencial está na presença de vincos próximos, que permitem a criação de ângulos que se adéquam às necessidades do projeto.

As curvaturas são criadas por meio de dobras transversais realizadas na chapa de aço. Esse tipo de produto pode ser incluído em fechamentos laterais e para se situar entre a cobertura e o fechamento, em locais onde o uso de calha não é desejado.

Telha metálica simples

Esse tipo de telha é composto por apenas uma chapa de aço, com os formatos em trapézio. Como o nome já informa, é o modelo de telha mais simples existente, não apresentando a função termoacústica.

Como você notou ao longo desse artigo, existem inúmeras opções de telhas galvanizadas. A melhor maneira de escolher o melhor tipo de telha para o seu tipo de construção, no caso, é contar com especialistas no assunto.

É possível encontrar empresas no mercado que são especializadas na fabricação e instalação de coberturas, principalmente para indústrias e grandes obras. Assim, contar com a expertise e a opinião dos profissionais é fundamental para a escolha da telha galvanizada e para sua obra, como um todo. Pense nisso antes de iniciar as atividades de construção!

E aí, gostou do nosso artigo? O que achou das informações que destacamos sobre as telhas galvanizadas? Ficou com alguma dúvida? Então, entre em contato com nossos consultores. Eles terão prazer em ajudar!

 

Veja como telhas metálicas estão ganhando o espaço na decoração

Veja como telhas metálicas estão ganhando o espaço na decoração

As telhas metálicas têm uma estrutura que vem chamando a atenção dos profissionais da decoração, que já estão explorando o uso desse tipo de peça para decorar os mais diversos ambientes. Além de agregar bastante ao visual do local em que serão instaladas, elas podem trazer vários benefícios, que vão desde o seu custo-benefício até a proteção contra ruídos — mas isso você verá mais à frente!

Devido a esse sucesso entre os arquitetos e designers, preparamos este post para contar tudo sobre essa novidade. Portanto, se você deseja saber mais sobre as possibilidades de uso das telhas metálicas na decoração, não deixe de conferir este conteúdo até o final.

Porque usar as telhas metálicas na decoração

Devido à variedade de materiais que podem ser utilizados na fabricação das telhas metálicas, elas dispõem de diversas características que permitem o seu uso na decoração dos mais diferentes tipos de ambientes — sejam eles externos ou internos.

Conheça quais são esses materiais:

  • aço galvanizado: apresenta uma boa resistência às dobras e à oxidação — fusão eletrolítica do zinco e do ferro;
  • galvalume: melhor custo-benefício, sendo o mais barato, e é resistente à maresia — combinação resultante de 55% de alumínio, 43,5% de zinco e 1,5% de silício;
  • pré-pintado: sistema de pintura à base de poliéster (coil coating);
  • pós-pintura: pintura a pó pelo sistema eletrostático;
  • alumínio: material mais leve com liga e têmpera apropriadas para telhas metálicas;
  • aço inox 444: melhora a resistência à corrosão em ambientes agressivos — composição química de cromo (17,5 a 18%) e molibdênio (1,75 a 2,5%);
  • aço estabilizado: melhora a soldabilidade.

Com base nessas características, é possível notar que as telhas metálicas têm uma boa durabilidade devido à sua resistência mecânica e atmosférica — inclusive em regiões litorâneas —, o que as tornam perfeitas para qualquer cenário. Além disso, sua variedade de espessuras — que vai de 43 a 80 mm para as simples e 80 a 155 mm para as autoportantes —, é possível vencer até mesmo grandes vãos dependendo da sua aplicação.

Além de tudo isso, elas são muito fáceis de serem instaladas, havendo a possibilidade do uso em qualquer angulação, o que é perfeito para a decoração, uma vez que não há limitação para a criatividade.

Com os modelos termoacústicos, é possível criar um ambiente totalmente confortável — o que também faz parte da decoração. Afinal de contas, decorar não significa criar um visual agradável apenas aos olhares. Contudo, esse fator não pode ser deixado de lado, e as telhas metálicas podem surpreender ainda mais por poderem receber camadas de tinta das mais variadas tonalidades.

Telhas metálicas e a tendência da decoração industrial

O estilo de decoração industrial vem ganhando bastante força nos últimos tempos. O uso de texturas como o cimento queimado, vigas de concreto expostas e tubulações aparentes são um dos exemplos que mais têm sido usados pelos arquitetos e designers. E, agora, chegou a vez das telhas metálicas ganharem espaço nesse cenário.

Por ser uma peça versátil, que possui alta resistência mecânica, de fácil instalação e que permite a customização de suas medidas de acordo com a necessidade do cliente, ela garante um visual bastante moderno devido ao seu acabamento.

Como usar as telhas metálicas na decoração

Textura nas paredes

Há, no mercado, um modelo de telha metálica que possui vários furos em toda a sua extensão — a chamada telha perfurada. Ela é ideal para decorar ambientes com pouca luminosidade ou entrada de ar. Além disso, quando usada na decoração, apresenta uma belíssima textura que pode ser aproveitada nas paredes do cômodo.

Fundo de parede

Por permitirem a sua instalação na vertical, as telhas metálicas podem ser muito bem aproveitadas no fundo da parede daquele cômodo que precisa ganhar mais visibilidade e elegância. Lembrando que, devido à variedade de materiais, alguns modelos podem ser instalados até mesmo em ambientes que recebem umidade, como banheiros ou cozinhas.

Detalhe colorido

A cor não é desculpa para não optar pelo uso das telhas metálicas na decoração. Isso porque elas podem receber uma demão de tinta, dando cor e vida ao ambiente no qual será instalada. Além do mais, a opção de aplicar uma pintura na peça é perfeita, uma vez que lhe garante mais uma camada de proteção.

Forro do teto

As telhas metálicas aparentes no teto podem até não ser novidade, mas, certamente, podem agregar bastante valor ao ambiente quando a instalação é feita de forma bem pensada — como em conjunto a uma bela luminária, por exemplo. Além disso, é possível usufruir dos benefícios de um modelo que ajude a diminuir o calor e os ruídos dentro do cômodo.

Benefícios dos modelos básicos e termoacústicos

Como mencionamos, existem alguns tipos de telhas metálicas que permitem um maior conforto térmico e uma melhor redução de ruídos externos. Dessa forma, essas características tornam esse tipo de material ideal para aqueles ambientes que precisam ter mais qualidade sonora e térmica em seu interior.

Porque buscar fornecimento com fabricantes de telhas metálicas

Por ser uma peça feita a partir de uma variedade de matérias-primas, contar com a ajuda de uma empresa fabricante pode ser determinante para escolher a telha metálica ideal para o seu projeto. Isso porque é importante manter a relação custo-benefício, garantindo a satisfação de todos os envolvidos.

Afinal de contas, não há a necessidade de utilizar uma telha que dispõe de proteção termoacústica em um ambiente que não precisa apresentar essas características.

Além disso, as empresas fabricantes também podem auxiliar quanto às cores disponíveis para a pintura das peças, uma vez que elas precisam passar por um processo específico de pintura.

Como foi possível conferir com a leitura deste post, as telhas metálicas podem ser ótimas aliadas para decorar qualquer ambiente, seja ele comercial ou mesmo residencial. Além disso, também foi possível conhecer um pouco mais sobre os benefícios desse material que vem ganhando espaço e a preferência dos profissionais da decoração.

Portanto, se você se interessou e quer aplicar essa ideia no seu projeto, não deixe de entrar em contato conosco e solicitar um orçamento!