fbpx
Estrutura para telhado: aço ou madeira, qual escolher?

Estrutura para telhado: aço ou madeira, qual escolher?

Durante a fase de escolha dos materiais e definição da estrutura para telhado de uma obra, poucas pessoas consideram utilizar a estrutura metálica. Apesar de parecer um pouco diferente, esse tipo de telhado pode ser uma alternativa interessante.

É importante lembrar que o principal objetivo do telhado é proteger uma edificação da ação de intempéries e, ainda, atuar como um regulador térmico dos ambientes. Sendo assim, sua estrutura deve ser capaz de suportar o peso próprio de seus componentes, do revestimento, de materiais de isolamento, de cargas de ventos e dos demais elementos que estejam fixados.

O projeto estrutural pode ser extremamente simples, dependendo de cada caso. Contudo, definir a matéria-prima de execução é fundamental para o empreendimento. Essa escolha pode gerar economia de recursos e, principalmente, de tempo.

Você sabe qual tipo de estrutura para telhado escolher: aço ou madeira? Continue a leitura deste artigo e veja as principais informações sobre cada uma dessas alternativas.

Quais são as principais características do aço?

As estruturas de aço estão começando a ser utilizada no Brasil, e  entre as vantagens destaca-se a rapidez de instalação e a menor geração de resíduos. Esse tipo de estrutura normalmente é produzida em fábricas, necessitando apenas de montagem no canteiro de obras.

Dessa forma, é possível evitar o desperdício de material e, ainda, evidenciar a agilidade do processo. Comparado com a estrutura de madeira, a velocidade de execução do aço chega a ser três vezes maior.

Outro ponto que merece certa atenção em relação às estruturas de aço é o fato de elas contribuírem para o meio ambiente. O seu uso, em detrimento das estruturas de madeira, evita o desmatamento de árvores e, caso aconteça a sobra de materiais, podem ser utilizados para outros fins.

O preço para a fabricação de estruturas de aço está diretamente relacionado com o seu peso. Então, quanto mais leve é a estrutura para as telhas, mais econômica ela é. Por fim, mas não menos importante, esse tipo de estrutura é produzida com precisão milimétrica, ou seja, a tolerância aos erros é baixíssima.

Quais são as vantagens e desvantagens da estrutura de aço?

As estruturas de aço apresentam alguns pontos que merecem o destaque e que, certamente, fazem a diferença na hora de escolher a melhor estrutura para o telhado. É importante evidenciar que esse tipo de estrutura precisa da devida proteção contra ferrugem, garantindo uma vida útil maior. Veja a seguir mais vantagens e desvantagens.

Vantagens da estrutura para telhado de aço

  • peso próprio: a estrutura metálica é mais leve que a de madeira e que a de concreto. Assim, podemos contar com peças mais esbeltas e que sobrecarreguem menos a fundação;
  • prazo de execução: quando os primeiros serviços da obra começarem, a fabricação da estrutura metálica também pode iniciar. Assim, quando chegar o momento certo é preciso apenas instalá-las (por meio de aparafusamento, soldagem ou arrebitamento);
  • organização: o canteiro de obras fica mais organizado, pois as peças são produzidas em fábricas e apenas montadas na obra. Além disso, não há desperdício de materiais;
  • amiga do meio ambiente: além de reduzir o desmatamento, esse tipo de estrutura pode ser desmontada e reaproveitada. É importante lembrar que o aço é 100% reciclável e o desperdício em sua utilização é praticamente zero;
  • garantia de qualidade: como a sua produção é industrial e as fábricas obedecem a controles de qualidade, o produto final dificilmente apresenta grandes problemas;
  • alta resistência contra intempéries.

Desvantagens da estrutura para telhado de aço

  • mão de obra especializada: a escolha do aço para estrutura do seu telhado necessita de mão de obra qualificada, o que pode ser difícil de encontrar no Brasil. Obviamente, essa mão de obra é mais cara quando comparamos com a instalação da estrutura de madeira.
  • desembolso em curto prazo: como a fabricação e a montagem são atividades rápidas, o desembolso com a sua estrutura deve ser feito em um tempo menor, quando se compara com as estruturas de madeira.
  • tratamento: o aço necessita de um tratamento especial com tinta para garantir sua proteção contra corrosão, garantindo a sua durabilidade.

E as características da estrutura de madeira?

A madeira é um dos materiais de construção mais antigos e mais utilizados em todo o mundo. Em quase todas as obras é possível encontrar a aplicação dessa matéria-prima. O seu peso próprio é uma das vantagens, que chega a ser um terço mais leve que as estruturas de aço.

Os custos de mão de obra também não são altos, pois a sua construção é simples, não necessitando de conhecimentos especiais. Já o seu preço pode variar demasiadamente, principalmente por conta da qualidade das peças a serem utilizadas. Sendo assim, seu telhado pode sair caríssimo ou pode ter um preço em conta.

A madeira ainda é amplamente utilizada em estrutura para telhado. Obviamente, é preciso dar o devido tratamento, garantindo a sua durabilidade. Contudo, as recentes preocupações com o meio ambiente e a constante necessidade de diminuir o tempo de construção das edificações está fazendo com que a madeira fique em segundo plano.

Quais são as vantagens e desvantagens da estrutura de madeira?

Assim como as estruturas de aço, as estruturas de madeira apresentam alguns pontos interessantes. Não podemos deixar de mencionar que a madeira está sujeita à ação de cupins, à variação de temperatura e outras interferências. Veja, a seguir, mais vantagens e desvantagens.

Vantagens da estrutura para telhado de madeira

  • disponibilidade: a madeira é um material fácil de ser encontrado e fácil de ser manuseado;
  • as ligações e emendas são simples de serem executadas;
  • a madeira é natural, reaproveitável e renovável;
  • o custo de aquisição e instalação é relativamente baixo;
  • não exige a contratação de mão de obra de alta qualificação;
  • não necessita de equipamentos e ferramentas específicas;

Desvantagens da estrutura para telhado de madeira

  • a madeira é um material orgânico e heterogêneo, ou seja, pode apresentar muita variação entre as peças;
  • a madeira absorve e perde umidade com facilidade;
  • a dilatação e a contração também ocorrem com frequência, permitindo alterações em suas dimensões;
  • é preciso tratá-la contra o ataque de insetos e fungos;
  • é preciso prover um tratamento antichamas;
  • uma viga de madeira exige o corte de uma grande árvore;
  • a sua utilização propicia ações de desmatamento.

Obviamente, a escolha da melhor estrutura para telhado depende de inúmeros fatores. Analisar as vantagens e desvantagens do aço e da madeira é de grande valia para essa definição. É preciso colocar no papel, identificar os pontos mais importantes para a sua obra e, assim, realizar a melhor escolha possível.

E aí, gostou do nosso artigo? O que achou das opções de estrutura para telhado? Costuma se interessar pelo tema? Então curta nossa página no Facebook, siga-nos no Twitter e acompahe todas as nossas postagens!

Qual a importância do isolamento térmico nos projetos de construção?

Qual a importância do isolamento térmico nos projetos de construção?

As temperaturas médias no Brasil são relativamente altas, e isso proporciona um elevado desconforto térmico em residências, escritórios, escolas e demais ambientes. Com isso, é necessário investir em sistemas de refrigeração, o que pode representar um aumento significativo no consumo de energia elétrica. Uma solução para evitar esses problemas e a elevação de custos é investir em isolamento térmico.

O isolamento térmico pode ser feito de várias formas. Com ele, é possível manter uma sensação térmica mais agradável dentro de uma construção — seja em épocas muito quentes, seja em frias.

Quer entender mais sobre esse recurso, conhecer sua importância, vantagens e quais os tipos principais de isolamento? Então, continue a leitura!

O que é isolamento térmico?

O termo isolamento térmico surgiu da capacidade que alguns materiais têm de serem isolantes, ou seja, de evitar ou permitir uma menor troca de calor. Isso ocorre porque tais substâncias apresentam um baixo coeficiente de condutibilidade de temperatura e uma boa conservação das propriedades com o passar do tempo.

Dessa forma, o isolamento térmico consiste justamente em empregar materiais que apresentam essa capacidade de resistência térmica, reduzindo a troca de calor entre o ambiente interno e o ambiente externo.

Por que o isolamento térmico é importante nas construções?

O isolamento térmico impede que o ambiente interno perca calor e fique frio quando as temperaturas externas estão baixas; ou que fique quente quando as temperaturas externas estão elevadas. Isso visa garantir um ambiente mais confortável e saudável.

Por meio dessa ação, também se permite uma economia significativa nos gastos de climatização, contribuindo para que o edifício seja mais ecoeficiente e, até mesmo, sustentável.

Quais são os principais tipos de isolamento térmico?

São várias as soluções existentes para o isolamento térmico de construções ou ambientes. Confira algumas abaixo.

Telhas termoacústicas

O topo de uma edificação recebe grande incidência de raios solares, o que é responsável por grande parte do aquecimento. Portanto, o uso de telhas termoacústicas é uma das ações essenciais para o isolamento térmico de uma construção. Como estão no topo da edificação, elas são a principal barreira para a incidência de calor proveniente da energia e luz do sol.

Existem vários modelos de telhas, e as mais comuns são as telhas cerâmicas, que apresentam um bom desempenho de condutividade térmica. Também existem as telhas de fibrocimento, mas a performance é um pouco inferior. Já as telhas de aço não são recomendadas para o controle de temperatura, uma vez que este é um material condutor e que apresenta uma elevada condutividade térmica.

Existem, também, telhas diferenciadas, como as que são fabricadas com poliestireno expandido, poliuretano rígido ou demais tipos de materiais isolantes. A telha de poliuretano rígido — também conhecida como telha sanduíche, é uma junção do aço com poliuretano. Dentro desse conjunto, o aço passa a ser uma excelente opção para o isolamento térmico e acústico.

Esse é um exemplo de telhas que apresentam ainda maior capacidade de isolar a construção termicamente, sendo um excelente investimento.

Lajes

As lajes também são muito importantes no isolamento térmico de uma construção, por serem compostas de uma série de camadas — concreto, aço, materiais isolantes, revestimentos etc. Alguns desses isolantes podem ser mantas de diversos materiais como lã de vidro, lã de rocha, lã de PET, cortiça, fibra cerâmica, silicato de cálcio, entre outros.

Como as lajes também servem de pisos em edificações com mais de um pavimento, os revestimentos de piso auxiliam no isolamento. Existem, além disso, opções de impermeabilizar, instalar gramados e jardins. Todas essas opções impactam positivamente o desempenho térmico e acústico de uma construção.

Forros

Os forros podem ser uma excelente opção para conferir maior desempenho e conforto térmico e acústico em uma edificação, mesmo que essa não tenha os demais tipos de isolamento citados. Porém, ele também pode complementar outros isolamentos, dependendo da necessidade de cada local e construção.

Existem forros de diferentes materiais, compostos por placas de lã de rocha, PET, vidro, cortiça, madeira ou EPS. Quanto mais espessas forem as camadas, maior será o isolamento térmico proporcionado pelo forro.

Muitos deles, além da capacidade de isolamento, apresentam características antichamas, o que concede maior segurança e valorização para os ambientes.

Paredes

As paredes também são elementos importantes no isolamento térmico de uma edificação, pois representam o contorno externo. Quando são muito finas ou feitas sem um revestimento apropriado, comprometem o isolamento térmico da construção — mesmo que essa conte com telhas, laje ou forro isolante.

Contudo, elas podem ser o principal ou único tipo de isolamento térmico. Para que isso seja possível, além do tipo construtivo utilizado — tijolos, blocos, steel frame, wood frame, paredes de concreto, entre outras — podem ser aplicadas texturas de materiais grossos, mantas e revestimentos.

Além disso, a cor definida na pintura é muito importante e impacta a absorção de calor, uma vez que tons mais escuros refletem menos luz, reduzindo a troca de energia e absorvendo mais calor. Portanto, optar por tons claros também proporciona efeito positivo no desempenho térmico de uma edificação.

Quais as principais vantagens do isolamento térmico em uma edificação?

O isolamento térmico proporciona diversas vantagens para as construções, sejam elas residenciais, sejam comerciais ou industriais. A principal delas é o fato de reduzir e retardar a troca de calor do ambiente interno com o externo.

Como consequência dessa principal vantagem, são obtidas outras como: maior conforto e qualidade no uso da construção, maior economia com energia elétrica, uma vez que passa a ser menor o investimento em sistemas de climatização. Sendo assim, tudo se torna mais ecoeficiente.

Além dessas vantagens e de agregar maior valor à construção, o processo executivo é simples, e existem diversas opções de isolamento térmico disponíveis no mercado, facilitando a escolha e aplicação.  

O isolamento térmico realmente faz total diferença nas edificações, tanto em relação ao conforto e qualidade durante o uso, quanto no que diz respeito aos fatores econômico e ecológico. São diversas as opções de sistemas que proporcionam maior isolamento térmico às edificações, o que facilita sua aplicação — tanto do ponto de vista da execução, que é simples, quanto do financeiro, já que existem opções com custos variados.

Gostou deste texto? Então, siga-nos em nossas redes sociais! Assim, você ficará por dentro de mais assuntos como esse. Estamos no Facebook e no Twitter.

Qual a importância e como fazer o diário de obras?

Qual a importância e como fazer o diário de obras?

Em uma obra acontecem várias atividades simultaneamente e atrasos e elevação de custo podem facilmente transformar um empreendimento lucrativo em um grande déficit financeiro. Uma das formas de controlar uma obra a fim de evitar essa situação por meio do maior controle do que está sendo realizado e da transparência com o cliente é utilizar o diário de obra.

Esse diário é um documento que contém informações extremamente relevantes sobre o que aconteceu a cada dia em uma obra, podendo servir, inclusive, de prova judicial. Como você pode ver, essa é uma prática imprescindível em qualquer empreendimento, por isso, neste texto você entenderá esse assunto de uma vez por todas. Não perca!

O que é diário de obra?

O diário de obra também pode ser conhecido como registro diário de obra — RDO. Ele nada mais é do que um documento muito utilizado por construtores que desejam registrar todas as informações que são relevantes, pertinentes e valiosas sobre o que acontece diariamente na construção de determinando empreendimento — servindo como uma espécie de memória.

Nesse diário são informados quais equipamentos foram utilizados, quantidade de profissionais presentes, quais os serviços realizados, condições de clima e observações que sejam pertinentes.

Qual a importância do diário de obra?

Esses registros possibilitam o acompanhamento, análise e avaliação do que está sendo realizado e que o que foi observado seja comparado ao que foi planejado, identificando possíveis desajustes, problemas ou atrasos. Ele também serve para documentar imprevistos, solicitações dos clientes e informações que possam ser relevantes em um futuro.

Um exemplo dessa utilidade é quando se deseja saber o motivo de atraso em uma tarefa e por meio da documentação realizada no diário de obra é possível demonstrar que o atraso foi em decorrência de chuvas, ou do atraso de entrega de um fornecedor, ou por não pagamento por parte do cliente.

Inclusive, esses registros servem como documentos em situações de desavenças entre as partes de um contrato, sendo um registro histórico que vale como prova — pois, por meio das fotos, anotações e observações realizadas diariamente, o construtor terá meios de comprovar seu correto procedimento sempre que necessário.

Por que ele deve ser adotado no canteiro de obras?

O diário de obra, quando produzido adequadamente, apresenta todas as etapas e procedimentos que ocorreram na execução, assim como quantidade de pessoas presentes em cada dia, equipamentos utilizados, solicitações realizadas pelo cliente, não cumprimento de algum aspecto relevante por alguma das partes, condições climáticas, entre outros.

Assim, ele demonstra que a empresa é organizada e preparada. Além disso, proporciona algumas vantagens, como a melhoria da logística, afinal, com as informações em mãos e o conhecimento de tudo que está sendo executado, assim como dos imprevistos e mudanças, é possível ter uma obra mais organizada e produtiva.

O diário de obras também permite que quaisquer problemas, atrasos ou imprevistos sejam justificados com transparência e seriedade, evitando conflitos e desgastes na relação com o cliente.

Por meio desse diário também é possível observar se houve retrabalho em alguma atividade e, consequentemente, mensurar o nível de qualidade dos serviços executados e quais processos podem estar ocasionando maior desperdício e perdas.

Quem deve fazer o diário de obra?

O diário de obras deve ser feito por um profissional com habilidade para verificar todos os aspectos relevantes e definidos pela empresa, como também de transformar tudo em dados e informações, elaborando, assim, um documento confiável.

Em geral, são elaborados por mestres de obra ou estagiários, porém, também podem ser elaborados por engenheiros ou até mesmo por um profissional ou setor cuja função é exclusivamente essa — tudo dependerá da estrutura e tamanho da empresa.

Quando esse diário deve ser feito?

Esse registro deve ser feito diariamente, contendo todas as informações e acontecimentos que foram relevantes para a execução da obra. Contudo, na prática, isso não acontece na grande maioria das empresas e empreendimentos, uma vez que é uma tarefa que demanda determinado investimento de tempo e, por isso, passa a ser evitada.

Entretanto, quando não é realizado diariamente, isso acaba dando mais trabalho, pois o profissional responsável terá de lembrar informações que já não estão mais frescas em sua mente. Para evitar isso e conseguir preencher o diário de obras todos os dias, é importante otimizar essa etapa.

Portanto, é melhor que estejam apenas as informações mais importantes do que todos os detalhes de tudo que aconteceu na obra — afinal, isso só é viável em empresas e empreendimentos de grande porte, que, muitas vezes, têm um profissional responsável por essa parte.

O que deve ser registrado no diário?

Não existe um modelo de diário de obra definido, devendo ele ser feito de acordo com a necessidade da empresa e do cliente. Ele deve conter informações como:

  • quais atividades foram realizadas naquele dia;
  • quais equipamentos e máquinas foram utilizados;
  • se houve entrega de materiais, atrasos ou imprevistos de algum tipo;
  • se o cliente ou projetista solicitou ou realizou alguma alteração;
  • as condições climáticas;
  • se ocorreram acidentes;
  • além de fotos do andamento e das atividades executadas.

No caso de máquinas e equipamentos alugados, pode ser interessante especificar o modelo e a quantidade de horas utilizadas. Dessa forma, é possível ter maior controle da produtividade. Contudo, essa é uma tarefa que demanda mais tempo e que, dependendo do tamanho do empreendimento e das atribuições do profissional, não será possível de ser realizada.

Portanto, o que realmente importa é que informações principais, como atividades realizadas, imprevistos, mudanças e solicitações dos clientes e fotos, sejam incluídas, agilizando o processo para profissionais que não têm muito tempo para se dedicar a essa função. Nesse caso, é melhor focar na simplicidade, com informações boas e relevantes, do que pecar pelo excesso ou pela falta.

Quais cuidados devem ser tomados?

Conforme falado, o registro diário dos acontecimentos relevantes de uma obra é de extrema importância para diversos aspectos, como o cumprimento do planejamento, transparência com clientes e também segurança jurídica.

Contudo, isso pode ser prejudicado caso o diário de obras não seja redigido apropriadamente, fatos relevantes sejam omitidos, seja verificada contradição de informações entre outros diários de obra — como na quantidade de pessoas e equipamentos, ou quando não há assinatura, que pode ou não ser eletrônica, entre outros.

O diário de obra é um dos documentos mais importantes em uma construção e deve ser feito com a atenção que ele realmente necessita. Quando feito corretamente, ele proporciona diversos benefícios e segurança para a empresa. Portanto, se você ainda não utiliza essa ferramenta, implemente-a a partir de hoje!

Gostou deste texto? Então aproveite a visita ao blog e assine agora mesmo a nossa newsletter. Assim, você começará a receber todas as novidades em seu e-mail e ficará por dentro de mais assuntos como este!

6 razões para usar um aplicativo de gestão de projetos!

6 razões para usar um aplicativo de gestão de projetos!

Para que qualquer projeto alcance sucesso, ou seja, atinja o escopo, dentro do prazo e dos custos programados, é imprescindível uma boa gestão. Para facilitar essa tarefa, são diversas as ferramentas existentes no mercado atualmente, sendo o aplicativo de gestão de projetos uma excelente opção, principalmente no quesito praticidade.

Contudo, um cuidado é essencial: não escolher o aplicativo levando em conta apenas custo, propagandas ou popularidade. É essencial que essa escolha seja pautada nas próprias demandas de cada empresa e do projeto, ou seja, é preciso verificar se as funcionalidades presentes no aplicativo são suficientes.

Quer entender mais sobre o uso desse tipo de aplicativo, as suas principais funcionalidades e conhecer 6 razões para utilizá-lo? Então, continue a leitura e não perca!

Quais as principais funcionalidades esperadas em um aplicativo de gestão de projetos?

Esse aplicativo é um dos melhores investimentos que uma organização pode fazer em conjunto com a estruturação do processo de gerenciamento de projetos — afinal, a ferramenta, sem a capacitação do gerente, não proporcionará melhorias.

Além disso, essa escolha deve ser pautada nas características, variáveis e demandas de cada projeto ou da organização como um todo — tanto para que não faltem funcionalidades quanto para que não seja realizado um grande investimento em um aplicativo em que muitas delas não serão utilizadas.

Contudo, algumas funcionalidades e vantagens são básicas e não podem faltar. Confira.

Organização dos diversos projetos

Um aplicativo de gestão permite que todos os projetos sejam organizados em um mesmo ambiente, de forma que os gestores de portfólio ou os envolvidos em mais de um projeto possam ter fácil acesso a outras informações e dados, agilizando os processos de gestão, tanto pela fácil consulta quanto pela padronização dos dados e indicadores.

Gerenciamento de equipes

Uma das funcionalidades presentes é a possibilidade de especificar quais equipes são responsáveis pelas atividades, assim como é possível permitir que os colaboradores tenham acesso às informações relacionadas às tarefas que desempenharão. A ferramenta também permite a observação e a atuação simultânea dos profissionais envolvidos no gerenciamento.

Assim, é mais fácil realizar a divisão e a integração das equipes, bem como acompanhar o andamento e a produtividade de cada uma delas — identificando com mais facilidade quais grupos estão apresentando uma produtividade inferior ou até mesmo em quais estão ocorrendo outros tipos de problemas.

Visualização do progresso dos projetos

Essa é uma das informações mais essenciais e que permite verificar o andamento das equipes e a produtividade. Também permite analisar se o projeto está dentro do prazo e do custo programado, se e por que ocorreram atrasos, entre outras informações. Sem essa funcionalidade, não seria possível colher os benefícios mais relevantes, que serão descritos abaixo.

Por que utilizar um aplicativo de gestão de projetos?

Abaixo, vamos citar 6 razões pelas quais você deve investir em um aplicativo de gestão de projetos em seu negócio.

1. Ganho de produtividade

Como as informações estão organizadas e o acesso a elas é facilitado, a tomada de decisões quanto às próximas etapas e a conferência das atividades que ainda precisam ser executadas se tornam mais fáceis e ágeis, elevando a produtividade de todos os setores e equipes.

Com essa maior organização dos processos, à medida que surgem problemas, imprevistos, atrasos e demais tipos de crises, é possível tomar ações corretivas, pautadas em informações concretas, assim como informar os demais setores e atualizar o projeto — mais uma vez, permitindo a elevação da produtividade.

2. Possibilidade de acompanhamento dos resultados

O aplicativo de gestão permite maior velocidade no acompanhamento dos resultados, informações e dados. Dessa forma, a equipe pode dedicar seu tempo a gerir as informações e processos, em vez de levantar dados e transformá-los em indicadores.

Além disso, como o processo de acrescentar dados e atualizar informações é mais rápido e facilitado, além de poder ser feito simultaneamente pelos responsáveis por cada equipe ou pelos demais profissionais habilitados para tal, o andamento e os resultados parciais são frequentemente atualizados, permitindo um acompanhamento realista.

3. Redução de riscos no projeto

Muitos aplicativos permitem que dados sejam incorporados e, por meio deles, que indicadores sejam mostrados e comparações entre o realizado e o planejado sejam feitas. Assim, é possível obter relatórios detalhados sobre o projeto e identificar em quais pontos eles apresentam diferenças quanto ao que foi pensado, tanto do ponto de vista financeiro quanto do físico.

Além disso, por meio do monitoramento das atividades e dos relatórios, quaisquer riscos ou situações desfavoráveis poderão ser corrigidas em menor tempo, reduzindo os impactos negativos sobre o projeto.

4. Acompanhamento remoto das atividades e do desempenho das equipes

Os aplicativos permitem o acompanhamento remoto tanto das atividades quanto das equipes, possibilitando que o profissional otimize seu tempo, evitando deslocamentos desnecessários. Além disso, eles proporcionam uma maior economia de recursos e agilidade.

Aplicativos de gestão de projetos possibilitam que todas as atividades que estão sendo realizadas sejam acompanhadas e, dessa forma, que o desempenho e a produtividade das equipes possam ser rastreados e mensurados. Tudo isso é possível, uma vez que o aplicativo permite a troca de informações de maneira simultânea, estruturada e organizada.

5. Melhoria na comunicação entre as equipes

Por meio das informações disponíveis no aplicativo, é possível que as equipes saibam como está o andamento do projeto, assim, a ferramenta facilita a comunicação mais fluida entre os diversos setores e profissionais.

Essa comunicação pode ser para tirar dúvidas, enviar documentos, trocar informações e propor mudanças e alterações. No entanto, também serve para fornecer feedbacks que sejam essenciais, quando houver interesse de que fiquem registrados.

6. Diminuição de atrasos

Os atrasos significam gastos extras. Quando não corrigidos, os resultados podem ser catastróficos, podendo até ocasionar déficits financeiros em um projeto que antes concederia uma lucratividade significativa.

Como o aplicativo de gestão reduz o tempo investido na troca de informações, ele possibilita que seja empregada maior atenção no gerenciamento do projeto, propriamente dito. Assim, quaisquer alterações no planejamento já são percebidas rapidamente e os gestores podem pensar em soluções para essas ocorrências. Dessa forma, atrasos são evitados ou reduzidos significativamente.

Como podemos ver, um aplicativo de gestão de projetos pode beneficiar sua empresa de várias formas. Até mesmo quando o gestor não se encontra no local, ele poderá ser comunicado das ocorrências relevantes, tomar decisões, realizar mudanças ou atualizações e entrar em contato com as equipes e os fornecedores. Portanto, não deixe de investir nessa ferramenta.

Gostou deste texto? Então, compartilhe o conteúdo em suas redes sociais! Assim, mais pessoas poderão entender a importância de um aplicativo de gestão de projetos, bem como sobre suas aplicações e funcionalidades.

Veja como acabar com a infiltração no telhado com a ajuda dos rufos

Veja como acabar com a infiltração no telhado com a ajuda dos rufos

A infiltração no telhado é um problema que preocupa muita gente, uma vez que pode causar danos à estrutura, danificar o acabamento das paredes ou da laje, além de gerar mofos que podem fazer mal à saúde de quem convive diariamente no ambiente onde houve o vazamento de água. Por isso, é fundamental conhecer o que causa esse transtorno e, principalmente, como resolvê-lo.

Uma das formas mais adequadas de solucionar o problema e até mesmo de evitar que ele ocorra é por meio do uso de rufos, que impedem que a água da chuva entre em contato com a parede exposta, causando a infiltração — ou vazamento.

Portanto, se você quer garantir qualidade nos empreendimentos que entrega aos seus clientes, não deixe de conferir este material até o fim, pois contaremos um pouco mais sobre as vantagens e a importância de utilizar rufos nos telhados. Confira! 

O que são rufos e quais as suas funções?

Os rufos são placas metálicas — galvanizadas ou de galvalume — utilizadas para proteger as telhas, paredes e lajes, a fim de evitar que ocorram infiltrações no telhado durante os períodos de chuva. Ou seja, eles impedem que a água passe entre o telhado e a parede e molhe todo o ambiente no qual as telhas são usadas para cobrir o local.

Apesar de muita gente se confundir, os rufos não captam água, sendo essa uma característica apenas das calhas. Eles apenas servem de proteção, uma espécie de guarda-chuva para as frestas laterais do telhado.

Quais são as causas mais comuns das infiltrações no telhado?

A infiltração é um efeito causado pelo contato da água nas paredes ou acúmulo na laje. Diversos são os motivos que podem ocasionar esse tipo de problema e, por isso, listamos alguns dos principais para você. Confira!

Ação do vento

O telhado é uma estrutura construída com o objetivo de vencer diversas ações naturais, como o vento, por exemplo. Durante a elaboração do seu projeto, no entanto, a maior força considerada é a que vem de cima. Por isso, quando ocorre um vento mais forte e, como consequência, uma pressão interna, é gerado o tão conhecido efeito de sucção.

Nesse caso, as telhas sofrem algumas deformações, podendo ser deslocadas e até mesmo sofrer algumas fissuras, fazendo com que a água escorra pelas frestas, molhando as paredes e gerando infiltração.

Chuvas fortes

Chuvas muito intensas ou fora do comum em algumas regiões também podem ser causadoras de infiltrações nos telhados, uma vez que eles não são dimensionados para suportar toda essa carga de água que é recebida. Dessa forma, as calhas entopem e a água transborda e molha as paredes.

Quais as soluções mais eficientes para resolver os problemas com infiltração?

Felizmente, problemas com infiltração de telhado são bastante simples de serem solucionados. O primeiro passo é identificar o que tem gerado o transtorno.

No entanto, a solução mais adequada para acabar com a infiltração no telhado é com a ajuda de rufos. Dessa forma, além da mão de obra qualificada, é preciso usar o parafuso correto, o sistema de fixação adequado e a borracha de vedação, não apertando demais, dando o ponto de torque suficiente para evitar vazamentos.

Se a cobertura do empreendimento for de edícula — uma água só —, o rufo é colocado na cabeceira (no topo e nas laterais). Além disso, outra opção para fazer a vedação do telhado é com o uso de cumeeiras. É importante também evitar movimentações sobre o telhado para não amassar as telhas, afinal, isso reduz o número de peças trincadas ou quebradas.

É preciso fazer a manutenção dos rufos?

A manutenção dos rufos pode ser feita periodicamente ou de acordo com o estado de conservação das placas, o que envolve o ambiente em que é instalado, se foi instalado adequadamente e a qualidade dos materiais que compõem as peças.

Quando eles são mal instalados ou estão amassados, por exemplo, formam bolsões de água, os quais podem gerar oxidação das placas, já que o sol aquece a chapa, que reage com minerais contidos na água.

Essa manutenção não exige que seja feita por profissionais, ou seja, não há necessidade de conhecimento técnico para isso. Contudo, é preciso tomar alguns cuidados, como:

  • ao realizar a limpeza dos rufos, é fundamental não utilizar produtos abrasivos, como esponjas de aço, já que eles podem riscar o material, acumulando sujeira e acelerando o processo de desgaste e oxidação da placa;
  • é preciso utilizar sempre uma esponja macia para não agredir o revestimento da placa, porque é ele que protege o aço base da chapa.

No entanto, vale ressaltar que, caso ocorram defeitos maiores nos rufos, como o descolamento, é interessante contar com a ajuda de um profissional para fazer a correção do problema.

Quais são os diferenciais dos produtos oferecidos pela Regional Telhas?

Desde 1987, a Regional Telhas é uma empresa pioneira no mercado de venda de telhas metálicas, oferecendo produtos de alta qualidade para clientes de diversas partes de todo o Brasil — e os motivos para tal sucesso não são poucos.

Além de a qualidade dos produtos ser atestada por laboratórios próprios, com profissionais treinados e capacitados, a Regional Telhas também garante a qualidade que o cliente merece ao utilizar apenas matérias-primas de primeira linha — como aço galvalume, aço galvanizado, pré-pintado e pós-pintado (de diversas cores).

Além disso, com a Regional Telhas, apesar de haver os rufos de comprimento padrão — dentados de 1,2 m e 3 m para os lisos —, também é possível personalizar o ângulo de inclinação de acordo com a necessidade do cliente.

Os rufos são placas essenciais para evitar a infiltração no telhado dos empreendimentos. No entanto, como foi visto por aqui, para garantir a qualidade que o seu cliente merece, é importante contar com uma empresa pioneira no mercado.

Agora que você já entendeu a importância de adquirir rufos de qualidade para os telhados da sua obra, não deixe de contar com uma empresa pioneira no mercado. A Regional Telhas tem as opções ideais para você. Não perca tempo e peça já o seu orçamento.

Aço na construção civil: o que você precisa saber sobre isso

Aço na construção civil: o que você precisa saber sobre isso

As tendências na construção têm se aprimorado com o objetivo de trazer mais segurança ao trabalho e, principalmente, mais eficiência, rapidez e qualidade nos serviços. O emprego do aço na construção civil é um exemplo de material que permitiu grandes avanços. Em conjunto com outros compostos, foi possível construir vãos maiores, prédios mais altos, vigas e pilares mais esbeltos e muito mais.

Se você deseja reduzir o custo e tempo de execução da sua obra, sem perder o valor, precisa considerar a utilização do aço na construção. Neste artigo, você vai entender tudo sobre esse conceito, assim como as vantagens que ele pode proporcionar. Ficou curioso? Continue a leitura e descubra!

O uso do aço na construção civil

O aço é utilizado na construção civil desde o século XVIII, mas só a partir da criação do concreto armado, no fim do século XIX, é que ele realmente entrou nesse setor com força total. Essa inserção foi o que permitiu o desenvolvimento de prédios mais altos e obras mais inovadoras. Além disso, deu flexibilidade aos projetos e é sinônimo de inovação e avanço na tecnologia desse setor.

Hoje em dia, existem diversos tipos de aço com propriedades muito específicas. Esse material também está disponível em diversas formas na indústria siderúrgica, como chapa, tubos, cabos, barras, perfis e telhas metálicas, considerados matéria-prima base na edificação de uma obra.

Também há a possibilidade de combinação do aço com outros tipos de materiais de construção, como no caso do concreto. Isso porque ele oferece diversas vantagens aos engenheiros e arquitetos no planejamento e execução dos seus projetos. Alguns desses benefícios são:

  • a possibilidade de reduzir os custos da obra;
  • contribuir para a preservação do meio ambiente;
  • melhorar o aproveitamento dos espaços;
  • dar mais liberdade para a criação dos projetos.

O aço como forma de reduzir custos da obra

Utilizar o aço na construção permite que você reduza os custos da sua obra sem perder em qualidade. Um dos motivos é o fato de ele ser um material pré-fabricado e com propriedades mecânicas, o que o torna mais resistente.

Essas características permitem que você utilize menos mão de obra para a montagem de estruturas de aço, quando comparado com a utilização de outros materiais, reduzindo o seu custo com pessoal.

O aço, por ser um material pré-fabricado e reciclável, também permite uma redução dos índices de desperdício, o que gera economia em relação aos outros tipos utilizados.

O tempo necessário para conclusão da obra diminui, uma vez que, com a utilização de estruturas de aço, há minimização de imprevistos, já que a obra é pré-moldada e chega no local pronta para ser montada. Dessa forma, esse item se torna um grande aliado da redução de custos, gerando economia de recursos e potencializando os lucros obtidos com a construção.

Vantagens do uso do aço na construção civil

Preservação do meio ambiente

A utilização do aço faz com que a sua obra seja menos agressiva ao meio ambiente. Isso porque ele é um material 100% reciclável, podendo ser reutilizado, por exemplo, em usinas para produção de novas ligas siderúrgicas. Também é possível reutilizar as telhas metálicas e, em alguns casos, a estrutura de perfis em outros projetos.

Melhor aproveitamento do espaço

O aço é um material 30% mais leve do que o concreto. Dessa forma, a sua utilização — seja sozinho ou combinado com outros compostos — permite uma redução da carga das fundações, já que o peso da estrutura é menor.

Com isso, ele permite uma otimização do espaço da sua obra, uma vez que a seção de pilares e vigas tende a ser menor que o equivalente em concreto armado. Essa característica faz com que o seu projeto ganhe uma maior área útil e se adéque aos padrões arquitetônicos atuais.

Maior liberdade para os projetos

A utilização do aço foi o que permitiu projetos inovadores — como é o caso da estrutura do Empire State Building. Nesse edifício, que era o maior dos EUA na época, foram utilizados 60 mil toneladas de aço, principalmente elementos semi-industrializados.

Além disso, a grande maioria dos projetos considerados como inovadores e futuristas só foram possíveis devido à utilização do aço, tanto na estrutura quanto no acabamento.

O que considerar na hora de incluir o aço na construção civil

Incluir o aço na sua obra exige um ótimo planejamento prévio para que você possa efetivamente aproveitar todos os benefícios que esse material pode trazer. Para isso, você deve levar em conta alguns aspectos. A seguir, listamos os principais. Acompanhe!

Comportamento estrutural

É preciso que você faça um diagnóstico dos esforços aos quais a sua estrutura estará submetida depois de terminada. Todas as edificações precisam suportar ventos, peso próprio e uma série de esforços internos e externos que devem ser considerados, principalmente conforme a quantidade de pavimentos da construção.

Portanto, é necessário uma análise cuidadosa sobre o comportamento da sua estrutura de aço e a análise da viabilidade da utilização desse material.

Aços mais utilizados

Os aços têm uma nomenclatura que os diferencia em questão de suas propriedades. Essa nomenclatura está no formato de duas letras indicando a sua utilização e o valor de sua tensão de escoamento. Os mais utilizados na construção civil são o Aço CA-50 e CA-60.

Depois de calcular os esforços da estrutura o engenheiro define os diâmetros do aço que serão utilizados nas armações, qual a quantidade a ser utilizada em cada viga, pilar ou fundação e outras particularidades do projeto.

Grau de agressividade

A sua construção precisa resistir às influências ambientais ao longo prazo. Porém, cada tipo de ambiente tem determinado grau de agressividade. Um exemplo bem conhecido é a maresia em áreas de litoral, que facilmente destrói o aço se ele não tiver um bom acabamento.

Por isso, existem vários tipos de aço e revestimentos resistentes à oxidação, como os do tipo inox, de carbono, com revestimento metálico e não metálico que protegem o composto dos óxidos e das intempéries causadas pela natureza.

Baixa manutenção

O aço é um material altamente resistente com uma durabilidade alta. Quando utilizado corretamente com todos os cuidados recomendados pelo fabricante, pode se tornar um metal com vida útil, ainda mais longa e com baixa manutenção.

Em alguns casos, ele necessita apenas de uma simples limpeza ou mesmo uma manutenção nos acessórios utilizados na estrutura, como fixadores, cumeeiras e rufos, por exemplo.

Facilidade no transporte e manuseio

Como o aço é um material resistente é possível transportá-lo sem prejudicar a sua qualidade. A maioria das peças metálicas são feitas fora do canteiro de obras, então é comum que elas sejam transportadas e o material se mostra um material versátil neste sentido.

Aços mais utilizados na construção civil

De acordo com os metais utilizados para criar a liga metálica, os aços desenvolvem diferentes características. Abaixo vamos descrever brevemente quais são os tipos mais utilizados e seus principais exemplos de aplicabilidade. Confira!

Aço galvanizado

O aço galvanizado passa por um banho de zinco fundido, processo conhecido como galvanização e que dá ao metal proteção contra a corrosão. Por esse motivo, ele é utilizado em tubulações, vigas de apoio, telhas, cumeeiras e outras áreas da construção civil que exigem uma proteção extra.

Aço inox

O aço inox é muito conhecido já que é utilizado em diversos utensílios domésticos. Ele é produzido a partir da mistura de Cromo e Níquel e por isso tem a propriedade de ser inoxidável.

Na construção civil ele pode ser bem utilizado já que tem proteção contra a corrosão atmosférica mas também a diversos abrasivos químicos sem perder o brilho e sua eficiência.

Aço galvalume

O aço galvalume é uma liga metálica composta por alumínio, silício e zinco. Esse metal tem excelentes propriedades anticorrosivas e vida útil maior que o aço galvanizado. Na construção civil ele é utilizado em telhas metálicas, mas também pode ser usado em ambientes industriais.

O mercado brasileiro do aço

O Centro Brasileiro da Construção em Aço faz pesquisas a cada ano para analisar o panorama do mercado brasileiro diante da utilização do aço em diversas áreas de aplicação. De maneira geral, o setor sofreu bastante com a crise na construção apresentando várias quedas de produção desde o ano de 2015.

Entretanto, de maneira geral, o mercado tem grande potencial de crescimento, sendo que as áreas de fabricantes de telhas de aço e de perfis galvanizados são as que apresentam maior otimismo de crescimento nos próximos anos.

Isso porque os consumidores buscam qualidade no produto. O investimento inicial também é um fator determinante nos momentos de crise, mas diante do padrão dos materiais em aço, é possível mudar a visão e adquirir os produtos mais eficientes.

Compreendeu que a utilização do aço na construção civil tem potencial de gerar diversos benefícios para a sua obra? Ele é capaz de reduzir custos, ser menos agressivo com o meio ambiente e otimizar o espaço da construção, podendo ser entregue na obra módulos pré-fabricados, agilizando e facilitando a montagem.

Além disso, o aço na construção civil pode oferecer inovação e agregar valor ao seu projeto. Considere aumentar a utilização desse metal nas suas obras observando todas as especificidades desse material e aproveite todas as vantagens que esse composto tão versátil pode oferecer!

Se você quer ter acesso a outros conteúdos como este, assine a nossa newsletter e receba nossos textos diretamente no seu e-mail!