fbpx
Entenda as diferenças entre rufos e calhas e como usá-los na construção

Entenda as diferenças entre rufos e calhas e como usá-los na construção

Na hora de construir, muita gente não presta atenção na finalização da obra com o uso de rufos e calhas. O que parece ser só um item de decoração, tem grande importância na conservação da edificação, e pode trazer grandes problemas para a estrutura caso seja menosprezado. 

Neste sentido, elaboramos este post para explicar o que são, quais as funções desses elementos essenciais e quais os melhores tipos para serem usados nas construções. 

Se você está construindo e quer ter a certeza de que sua obra está segura e protegida, continue lendo e saiba tudo sobre rufos e calhas!

Entenda o que são calhas 

A calha é uma espécie de canal responsável pela coleta da água da chuva vinda de telhados e terraços. Esse tipo de material, em geral, é feito em aço galvanizado — aquele revestido por uma camada de zinco —, que protege contra a corrosão.  

As características desse tipo de peça vão variar de acordo com o comprimento da estrutura do local, a queda de água e o tipo de telha.  

As calhas são usadas principalmente para proteger e evitar danos das chuvas nas construções, conduzindo a água dos telhados e coberturas para que estas não causem alagamentos, apodrecimentos, mofo e umidade excessiva. 

Existem diferentes tipos e funções, a mais comum no mercado é a feita de PVC. É facilmente encontrada nas lojas de construção e é prática na hora de limpar, mas não é o modelo mais eficiente para construções cuja coleta de água será grande, pois apresenta durabilidade limitada por causa da leveza do material. 

Em geral, para este tipo de demanda, o ideal são as calhas de aço galvanizado, já mencionadas, pois são bastante resistentes, sólidas e apresentam alta durabilidade na exposição ao tempo. 

Sem contar que apresentam uma aparência diferente das tradicionais, com melhor acabamento, e podem, inclusive, receber pintura, ganhando um ar mais moderno. 

Além da clássica calha, aquela que forma uma espécie de canal sob os telhados, existem também as chamadas calhas de piso. Estas são usadas para escoar água de quintais, piscinas e áreas molhadas em geral. São uma espécie de canal — coberto com ralo —, que conduzem a água para outro lugar, evitando o acúmulo. 

Saiba o que são rufos  

Já os rufos são peças que são moldadas e fixadas para evitar que a água infiltre na alvenaria, assim como o acúmulo de sujeira e infiltrações em sua obra. Em geral, são fixados na divisão de telhas, para evitar que a água da chuva entre por ali, e ainda em paredes e muros. Funcionam como complementos para coberturas, lajes mistas e fachadas.  

A ausência desse tipo de peça facilita a infiltração que, inicialmente, acarreta o surgimento de manchas escuras (sinal clássico deste tipo de problema), e na sequência mau cheiro, mofo e até no apodrecimento da estrutura de alvenaria. 

Os rufos, em geral, são feitos com chapa metálica e fixados com rebites ou pregos. Eles recebem ainda uma camada de argamassa em suas bordas para que seja garantida uma vedação total do seu entorno.  

Conheça os tipos de rufos

Assim como as calhas, os rufos são encontrados em vários modelos e tipos. Mas pelo mesmo motivo da calha, os mais adequados são os construídos em aço galvalume, aço galvanizado, que é ainda pré-pintado e pós-pintado. Essas características garantem durabilidade e beleza por muito mais tempo. Veja agora os tipos mais comuns de rufos e suas aplicações: 

  • pingadeira: serve para desviar a água da chuva e impedir que ela escorra ao longo de uma parede. Em geral, colocadas em platibandas, muros e paredões. Pode aparecer na versão com aba em 45º e 90º, ou ainda com aba conjugada;
  • pingadeira dupla: é colocada nos dois lados da parede para evitar que a água penetre nessa estrutura; 
  • capa: como o próprio nome sugere, funciona como uma capa, um chapéu para o topo de um muro e evita que a água entre ou fique empossada por ali.

Verifique o funcionamento das peças 

A existência dessas peças é fundamental para que sua construção esteja o máximo possível protegida da chuva. O controle de funcionamento das mesmas também deve ser feito de perto para que sua funcionalidade esteja garantida. 

O melhor momento para avaliar o funcionamento de calhas e rufos é durante uma chuva de grande intensidade, em que o proprietário deve observar se o escoamento da água está sendo feito adequadamente pelas calhas, se existe algum sinal de vazamento ou goteira ou a formação de alguma mancha ou descascado na parede, o que pode indicar infiltração. 

Caso algum problema seja notado, é preciso fazer a revisão das peças, verificar se a vedação das mesmas está adequada ou se é preciso substituir alguma peça. 

No caso das calhas, é preciso lembrar de fazer ainda a limpeza das mesmas, que pode estar obstruída por folhas ou outros tipos de sujeira, o que impede o seu perfeito funcionamento. 
 
A instalação dessas peças também deve receber atenção especial e ser feita por um bom profissional, que vai garantir a correta instalação das estruturas. A má colocação pode acarretar vazamentos e danos no material, colocando todo o trabalho de proteção a perder. 

Como vimos, rufos e calhas são estruturas fundamentais para a proteção da sua construção, seja ela de uma casa ou edifício, ou até de um simples muro. Elas cuidam para que o escoamento da água da chuva seja feito perfeitamente, sem que esta fique empossada e traga problemas para a estrutura de alvenaria. 

Há ainda a possibilidade de uso de calhas para o chão, para as áreas de piscinas ou que ofereçam algum tipo de acúmulo de água, mas com a mesma função de escoar esse líquido. 
 
Na hora de colocar essas estruturas a garantir a segurança de sua obra, é importante escolher produtos que sejam de empresas certificadas e reconhecidas pelo mercado. Elas serão capazes de oferecer o melhor produto para sua obra, fazer indicações de acordo com sua necessidade e ainda construir sob medida para o seu tipo de edificação. 

Agora que você já sabe um pouco sobre o uso de rufos e calhas, que tal entrar em contato com a Regional Telhas para mais informações para o seu projeto? 

Conheça aqui os melhores tipos de telhas para galpão

Conheça aqui os melhores tipos de telhas para galpão

A tarefa de escolher o tipo de cobertura para um espaço deve sempre levar em consideração as características do lugar. No caso de galpões — lugares de grande extensão, usados como armazéns ou para atividades que demandam espaço —, a primeira coisa a ser levada em conta é o custo para cobrir toda a área com um material que se adeque a ele e não seja tão caro.

Porém, esse custo não deve ser confundido com a aplicação de materiais mais baratos e de qualidade menor, já que isso implica na substituição de peças com mais frequência e, consequentemente, em mais gastos. A equação ideal é a que oferece matéria-prima que tenha grande durabilidade e um bom preço.

Produzimos um miniguia sobre tipos de telhas para galpão para que você faça a escolha certa na hora de construir ou reformar o seu espaço. A seguir, falaremos sobre as características, a longevidade do produto e os modelos ideais para cada tipo de construção. Continue lendo e saiba tudo sobre o assunto!

Conheça os tipos de telhas para galpão

Agora vamos conhecer as opções de telhas disponíveis no mercado para esse tipo de construção. Elas podem variar quanto à composição de seus materiais e também quanto ao formato necessário para aplicação em espaços amplos. Vamos começar?

Telhas metálicas

As telhas metálicas são as mais utilizadas na hora de recobrir galpões. Isso porque as pecas sao feitas sob medida podendo ter até dose metros. Ou seja, o seu uso demanda menos peças para completar um telhado.

Além disso, o material oferece maior resistência, durabilidade e é de fácil instalação. Essas telhas são ideais para galpões, principalmente se a estrutura também for metálica ou pré-moldada de concreto. Proporcionam ainda diversos tipos de curvaturas, oferecendo telhados mais baixos ou íngremes. A seguir vamos explicar um pouco mais sobre os revestimento: galvanizadas, galvalume e termoacústicas.

  • Telha galvanizada: é uma telha de aço e banhada em zinco fundido — o que oferece o sistema de galvanização e evita oxidação e ferrugem — que se traduz em um material completamente resistente e durável.

    Seu tempo de vida útil vai ser determinado pelo ambiente em que é aplicado: rural, urbano ou marítimo. Vale lembrar que uma das características do aço é que ele é inquebrável, o que garante total segurança na manutenção e na montagem da estrutura;

  • Telha galvalume: é um tipo de telha metálica com um revestimento ainda mais especial que a galvanizada. Enquanto a telha galvanizada utiliza apenas zinco em sua composição, a galvalume recebe uma blindagem composta de 55% de alumínio, 46,5% de zinco e 1,5% de silício, o que a torna quatro vezes mais resistente. É ideal para lugares em que a corrosão atmosférica é muito alta;

  • Telha termoacústica: são as chamadas telhas sanduíche, uma vez que são feitas com duas laminas de aço e preenchidas com poliuretano ou poliestireno expandido — materiais em forma de espuma com microcélulas fechadas. Elas oferecem isolamento térmico e acústico perfeitos, mas podem representar um custo maior para cobertura de grandes espaços.

Telhas de concreto

Podem ser feitas de fibra de papel orgânico ou de fibra de vidro impregnada com asfalto e grânulos minerais. É uma telha relativamente barata, mas muito pesada para galpões. Demanda pouca manutenção, mas não tem durabilidade muito grande. Por causa disso, é uma das últimas opções na hora de se recobrir grandes espaços.

Telhas de fibrocimento

São feitas de fibras sintéticas e cimento, e chegaram ao mercado para substituir as antigas telhas de amianto, que representavam perigo à saúde humana. São leves e baratas quando comparadas aos outros modelos existentes, mas absorvem muito calor e deixam o ambiente quente. Também são mais frágeis, o que pode trazer a necessidade de substituição constante das peças, provocando custos extras de manutenção.

Telhas onduladas

Aqui o tipo de telha é curvo, modelo muito usado em quadras esportivas por exemplo. Sua arquitetura requer que seu telhado tenha um acabamento diferente, sendo as telhas com ondas as mais indicadas para conseguir esse efeito. Telhas multidobras ou calandradas — curva e feita em aço galvanizado ou galvalume — são ótimas opções de cobertura.

Telhas autoportantes

São telhas indicadas para grandes obras com grandes vãos. Ou seja, são uma boa opção para espaços amplos, como empreendimentos industriais, prédios comerciais, ginásios poliesportivos e hangares. São inteiriças, muitas vezes fabricadas no local da obra, e podendo ter pecas com comprimentos muito grandes, daí vem o nome autoportante.

São feitas a partir de bobinas contínuas de aço galvanizado, galvalume, aluminio no tamanho que o cliente precisa, sem desperdício de material e atendendo às características do projeto. São fixadas umas às outras com parafusos por meio de capa enrijecedora, que confere unidade, rigidez e um fechamento perfeito do telhado. Apesar do tamanho, são muito fáceis de instalar e demandam pouca manutenção.

Faça a escolha certa

Agora que você já conhece os tipos de telhas mais usadas para recobrir galpões, só precisa pensar em qual deles é mais adequado para o seu projeto e fazer a escolha certa.

Se seu espaço não for tão amplo, uma telha ondulada deve suprir as necessidades. Já para áreas de médio ou grande porte, escolha telhas do tipo autoportante.

Quanto ao tipo de material em que elas serão confeccionadas, você também vai precisar decidir se prefere uma matéria-prima de baixo custo, mas que demande manutenção e despesa constante, ou uma de base melhor e que livre você de aborrecimentos no futuro. Nesse sentido, as telhas metálicas têm grande vantagem sobre as demais. Lembrando ainda que as telhas autoportantes só são fabricadas em aço galvanizado ou galvalume.

Modernize a sua cobertura

Com este miniguia sobre tipos de telhas para galpão, você não terá dificuldade para escolher a cobertura ideal para o seu espaço. Precisará apenas optar pelo formato e observar a constituição das telhas para ter um telhado sob medida para as suas necessidades, sem sustos com o custo final da obra.

Além disso, com a modernização da tecnologia, é possível até escolher até a cor do seu telhado, já que muitas dessas telhas podem vir pintadas de fábrica.

Agora que você já sabe tudo sobre tipo de telhas para galpão, que tal entrar em contato com a Regional Telhas e pedir um orçamento?

Certificado de qualidade: como escolher um fornecedor para construção civil?

Certificado de qualidade: como escolher um fornecedor para construção civil?

Encontrar o fornecedor ideal para construção civil é um dos principais objetivos de muitos engenheiros. Nessas horas, é fundamental entender o funcionamento do certificado de qualidade e a sua importância para o sucesso no seu canteiro.

Quem tem parceiros de confiança evita dores de cabeça nas atividades construtivas e consegue atender às expectativas do mercado. Profissionais que improvisam ou tomam decisões baseadas apenas no fator financeiro podem ter grandes problemas no futuro.

Ao ler este conteúdo, você entenderá mais sobre o assunto e descobrirá os benefícios de uma parceria de sucesso para o seu empreendimento. Confira!

O que é um certificado de qualidade?

O certificado de qualidade atesta que os produtos cumprem com as medidas do padrão nacional. Isso quer dizer que as características do material, como as dimensões, o peso e a espessura, estão de acordo com as exigências de segurança e de produtividade de um canteiro de obras.

Não confunda certificado de qualidade com garantia. O certificado atesta a eficácia da mercadoria. Já a garantia costuma ser de um ano quando se trata de telhas. Isso acontece porque o aço-inox é utilizado em diversas circunstâncias, impossibilitando que haja um controle sobre os ambientes externos e internos.

Quais são as suas vantagens?

Empresas que trabalham apenas com fornecedores detentores de certificado de qualidade só têm a ganhar. Como todo o processo é padronizado, é possível adquirir mercadorias com dimensões, espessuras, composições e características controladas.

Em outras palavras, se você precisar reformar ou trocar qualquer parte do seu telhado, não será necessário fazer improvisações nas telhas, já que não há desvios na produção.

Empresas certificadas não focam apenas no lucro. Elas direcionam todos os seus esforços e recursos para atender às demandas do consumidor, pois estão sempre empenhadas em melhorar continuamente o relacionamento com o mercado.

Quais são as principais certificações para as telhas?

Há diversas estruturas para telhados. Existem opções para todos os tipos de obras, sempre considerando as exigências de cada projeto, como a inclinação do telhado. De qualquer maneira, a escolha de telhas deve ser baseada em certos critérios: qualidade, segurança e eficiência.

Há duas normas fundamentais para garantir essas questões na sua obra. A primeira é a ABNT NBR 14514 — Telhas de aço revestido de seção trapezoidal – Requisitos. Como o próprio nome indica, ela aborda as telhas de aço revestido de seção trapezoidal para os seguintes revestimentos:

  • zincado por imersão a quente;

  • liga de alumínio-zinco por imersão a quente;

  • zincado por imersão a quente e revestido por um processo de pintura;

  • liga de alumínio-zinco por imersão a quente e revestido por um processo de pintura.

Os materiais considerados no documento são usados na construção de telhados e de fechamentos laterais. São estipulados, por exemplo, limites de tolerância em relação às dimensões nominais dos perfis trapezoidais:

  • altura;

  • largura útil;

  • comprimento;

  • alinhamento longitudinal.

Outros aspectos são considerados também, como os processos de identificação e de embalagem das telhas. Lembre-se de que o armazenamento do material para construção é outro ponto importante.

As mercadorias devem ser guardadas em local seco, coberto e ventilado. Isso quer dizer que é fundamental ter um parceiro com certificado de qualidade e adotar as práticas recomendadas pela norma. Deixar esse assunto de lado pode resultar em perda de qualidade do produto.

Já a segunda é a ABNT NBR 14513 — Telhas de aço revestido de seção ondulada – Requisitos. As considerações são semelhantes às anteriores, porém, adaptadas às características de cada produto.

Também existe a certificação ISO 9001. Para recebê-la, a empresa deve atingir os mais altos níveis de um sistema de gestão de qualidade. Como consequência disso, todos os processos, as pessoas e os materiais envolvidos são seguros, organizados e eficientes.

Além de representar um atestado de reconhecimento nacional e internacional, a ISO 9001 é um certificado que assegura as melhores práticas no relacionamento entre clientes e fornecedores.

Ter um parceiro que trabalha conforme esses conceitos acarreta um diferencial competitivo para o seu negócio crescer e inovar no mercado.

 

Os fornecedores precisam passar por reavaliações periodicamente. Em outras palavras, esse é um processo de renovação dos certificados de garantia. Cada certificado tem períodos diferentes, por isso, fique atento para não se esquecer de nenhum deles.

Pense também na estabilidade financeira do parceiro. Inicialmente, você pode achar esse fator estranho, mas tenha em mente que um fornecedor que tem problemas de fluxo de caixa, por exemplo, pode ter dificuldades para entregar dentro do prazo. Além do mais, a qualidade da mercadoria pode ser afetada se ele não conseguir comprar a matéria-prima adequada.

O que fazer a partir de agora?

Até agora, você entendeu como é importante escolher fornecedores que têm certificado de qualidade, certo? Por isso, é essencial que você faça uma pesquisa de mercado e encontre aqueles que atendem às exigências da sua obra, colocando em prática o que aprendeu com este post.

Faça de tudo para encontrar um fornecedor que tenha as mercadorias que você procura e ofereça soluções confiáveis para a sua construção, o que é comprovado por um certificado de qualidade. Não pense que o relacionamento com o parceiro acaba após a assinatura do contrato. É preciso monitorar os processos de reavaliação a fim de assegurar que tudo dê certo no seu empreendimento.

Se você está procurando o que há de melhor no nicho de telhas para telhados, entre em contato com a nossa equipe e se prepare para comprar produtos em grande escala com qualidade, boas condições de pagamento e recebê-los dentro do prazo!

Conheça 9 novidades na construção civil para 2019

Conheça 9 novidades na construção civil para 2019

O ano de 2019 começou e chegou a hora de conhecer as novidades na construção civil que devem movimentar o mercado. Sair na frente neste setor é fundamental para se antecipar à concorrência, oferecer mais e melhores opções para os seus clientes e virar referência quando o assunto for inovação. 

Entre os itens que devem chamar mais atenção no mercado estão as impressões 3D, o uso de drones, estruturas pré-fabricadas, investimento na IoT (Internet das Coisas) e muito mais. 

Preparado para conhecer cada lançamento desses? Então continue lendo nosso artigo e comece um 2019 muito mais feliz na construção civil!   

1. Impressão 3D 

As impressoras 3D invadiram vários setores da indústria e, na construção civil, não ia ser diferente. Inicialmente, elas eram usadas para criar modelos plásticos básicos, mas agora já constroem casas de concreto na China e na Holanda. 

Inicialmente, a tecnologia ainda representa um alto custo, mas deve baratear à medida que for se popularizando. E isso não deve demorar, já que a tecnologia possibilita um menor desperdício de material — o que representa também um ganho para o meio ambiente —, estruturas mais finas e precisas, e o consequente barateamento do custo final da obra.  
 
O funcionamento da impressora 3D na construção civil se dá na mesma lógica de uma impressora de computador: você “programa” a impressão de um desenho ou modelo e, no lugar de imprimir em um papel, a estrutura “imprime” o desenho em concreto e em três dimensões. 

2. Drones, como uma das grandes novidades na construção civil 

Se, há algum tempo, os drones eram vistos apenas como brinquedinhos, agora eles são grandes aliados de um canteiro de obra. Ou melhor, até mesmo antes da obra começar, já que esse tipo de veículo aéreo consegue fazer o levantamento topográfico de um terreno rapidamente e fornecer informações para construção.
 
São bastante usados também para fazer a agrimensura de área (qualquer tipo, inclusive em terrenos mais acidentados). Um trabalho que antes poderia levar semanas ou meses, com esse tipo de equipamento, é simplificado para minutos. Ou seja, mais rapidez e menos custos com a obra. ​ 

3. Estruturas pré-fabricadas 

As estruturas pré-fabricadas e modulares continuarão em alta em 2019. Isso porque o mercado continua investindo na lógica de otimizar processos e acelerar as etapas da construção. Para quê construir da base, se você pode ganhar na economia de tempo e dinheiro usando uma estrutura pré-fabricada?  

Casas modulares, por exemplo, podem ser transportadas para um novo terreno ou cidade. É o futuro chegando no canteiro de obras. 

4. Mais projetos verdes na construção 

A palavra da moda no mundo e também na construção civil é sustentabilidade. Ela abrange desde a preocupação com o meio ambiente até a economia de matéria-prima e menor valor da obra final. Ou seja, ganha você e o planeta. 
 
Na construção, a onda eco-friendly manifesta-se em projetos que se importam cada vez mais com a natureza, em reaproveitamento de materiais (reciclagem), conservação de energia e uso de energia limpa e cálculos cada vez mais precisos para se evitar o desperdício de material. 

5. IoT 

Não ligou a sigla ao seu significado? A gente explica para você! Trata-se da Internet das Coisas, ou Internet of Things, em inglês. Ela diz respeito ao uso da tecnologia, da internet, para rastrear equipamentos e funcionários, condução de drones, coleta de dados e acompanhamento de informações do canteiro de obra em tempo real. Não pode visitar a obra? Ela vai até você! 

O aprimoramento de uso é juntar a IoT com o Business Intelligence. Ou seja, usar os dados recolhidos pela primeira para melhor tomada de decisões na segunda. 

6. Realidade aumentada 

Se você já tinha ouvido falar em realidade virtual aplicada à construção civil, então se acostume com a lógica da realidade aumentada. Trata-se da capacidade de visualizar o mundo real pela lente de uma câmera de forma ampliada. 

A técnica vai revolucionar o modo de projetar e construir daqui para frente. E, novamente, evitar muitos erros e desperdícios, já que o construtor vai visualizar com detalhes seu empreendimento antes mesmo de ficar pronto.

7. Tecnologia Bim 

Trata-se da Building Information Modeling, ou Modelagem de Informação da Construção, que já é usada no setor e une informações e detalhes de vários projetos para criar um modelo 3D da obra. É a união da tecnologia dos softwares com a gestão da informação eficiente. 

Esse protótipo ajuda na compatibilização de projetos, reduz erros, antecipa problemas e facilita o planejamento da parte elétrica e hidráulica que dividem o mesmo espaço, por exemplo. Com a modelagem 3D, basta visualizar o problema e pensar na solução na fase de concepção, e não durante a obra. 
 
A expectativa é que em 2019 novas opções de gerenciamento de construção surjam no mercado e ajudem os construtores a organizar melhor suas obras. 

8. Monitoramento do canteiro e segurança do trabalho 

Inovação e tecnologia devem ser ferramentas capazes de dar suporte e segurança para quem trabalha na obra. Um desses recursos são os simuladores de realidade virtual. Eles podem ajudar os trabalhadores a fazer um treinamento com equipamentos pesados e perigosos sem colocar ninguém em risco. 

Tem também uma série de softwares de segurança, que fazem inspeções e auditorias com esse foco, tornando-se responsáveis por detectar possíveis problemas no local e enviar alertas em casos de emergência.

9. Robótica 

Outra forte tendência do setor é a robótica, ou o uso de robôs para atividades operacionais. A ideia é que cada vez mais eles meçam espaços, posicionem tijolos, transportem equipamentos, descarreguem materiais e realizem atividades de risco.

No futuro, há ainda a possibilidade de se substituir a mão de obra por esse tipo de “funcionário”. 

Como vimos, algumas tecnologias já estão em uso e devem ser aprimoradas — como a dos drones —, outras estão chegando ao mercado em 2019 — como a IoT —, e algumas ainda estão em desenvolvimento para breve.  

Mas se você é antenado com este mercado, deve ficar por dentro das novidades na construção civil para entregar primeiro esses valores para os seus clientes e se tornar cada vez mais competitivo. 

Agora que você já sabe tudo sobre as tendências para o mercado da construção civil em 2019, que tal conhecer mais sobre a tecnologia BIM em obras? 

Telha metálica: aprenda como receber e armazenar

Telha metálica: aprenda como receber e armazenar

Um engenheiro que quer se manter atualizado sempre busca acompanhar as novidades do mercado. A construção civil está adotando cada vez mais materiais eficientes e seguros, a fim de melhorar a qualidade da obra e o bem-estar dos usuários — a telha metálica é um dos principais exemplos.

Esse importante componente precisa ser escolhido de forma correta, de acordo com a estrutura da construção e a logística do canteiro. Uma decisão equivocada pode colocar em risco a obtenção de resultados positivos, considerando todo o processo de produção, recebimento, armazenagem e montagem.

Este post vai mostrar para você a importância das especificações e do fornecedor da telha metálica. Tenha atenção em sua leitura e aproveite!

Do que são feitas as telhas metálicas?

A imersão a quente pelo processo contínuo é uma das formas mais eficientes para aplicar revestimentos metálicos. A partir disso, a tira metálica é imersa em um banho de metal fundido continuamente.

Dentre os revestimentos metálicos propensos à aplicação, podemos citar a liga Galvalume.

O produto é a chapa  revestida com liga 55% Al-Zn. Com isso, combina-se a proteção galvânica do zinco com a durabilidade do alumínio. Desse modo, a telha metálica galvanizada é um material com excelente proteção contra a corrosão.

Quais são suas principais características?

As escolhas dos materiais e do fornecedor definem o sucesso de uma obra. Comprar o produto mais barato nem sempre é a melhor opção, já que, nesse caso, a qualidade quase sempre é deixada de lado.

A telha metálica tem atributos que melhoram o seu trabalho, como:

  • espessura da chapa de aço;
  • revestimento do material;
  • diversos modelos e tamanhos.

E tem mais. Alguns projetos podem utilizar telhas metálicas em arcos ou até mesmo em vãos estruturais de até 13 metros. Essas características permitem o desenvolvimento de projetos arrojados, que atendem às necessidades do mercado e não deixam de lado a eficiência da estrutura.

Outra questão importante está relacionada ao desempenho termoacústico do produto. A telha metálica proporciona um conforto melhor, ainda que na situação in natura. Quando comparada com a de barro, sua performance é mais eficaz.

Como fazer o recebimento e a armazenagem sem danificar a telha metálica?

Após a montagem da estrutura da obra, começa a etapa da cobertura metálica. As telhas são feitas de aço, material natural que pode sofrer oxidação. Por isso, é muito importante transportá-las e protegê-las corretamente.

A logística dos colaboradores e dos materiais deve ser muito bem pensada em um canteiro de obras. Qualquer descuido abre brechas para acidentes e perda de insumos construtivos.

Essas e outras situações devem ser evitadas a todo custo porque colocam em risco a segurança das pessoas e a conclusão das atividades dentro dos prazos do contrato.

E não poderia ser diferente com as telhas metálicas. Todos os benefícios citados anteriormente só são alcançados quando você respeita as condições de transporte, de recebimento e de montagem da estrutura.

Por isso, ao escolher um parceiro para as suas obras, considere boas práticas de engenharia e gestão de telhas. A carga deve ser transportada com proteção e colunas, por exemplo.

A próxima etapa está relacionada ao recebimento da mercadoria no canteiro. As telhas metálicas não podem ser armazenadas em qualquer lugar: você deve colocá-las em um local seco, coberto e ventilado. O ideal é que isso aconteça em um dia sem chuva.

Mas se as telhas são produzidas com alto padrão de qualidade, por que é preciso seguir essa recomendação? Pois bem, a umidade e os sais minerais presentes na chuva provocam uma reação de oxidação quando entram em contato com a resina presente na telha. Logo, é preciso ficar atento para evitar a corrosão do material.

Antes da montagem, o produto permanece empilhado e reto. Após a execução da estrutura as telhas metálicas ficam inclinadas, impossibilitando o acúmulo de água e, consequentemente, a reação de oxidação.

Em outras palavras, o empilhamento não é um problema, mas sim o acúmulo de substâncias. Depois do posicionamento no telhado, o material se comporta normalmente, faça chuva ou faça sol.

Quais outros cuidados devem ser tomados?

A qualidade do seu projeto está relacionada à forma como você lida com os materiais da obra. Por isso, siga os passos abaixo ao trabalhar com a telha metálica:

  • tempo de armazenamento: deve ser o menor possível, sempre inferior a 60 dias. Durante esse período, é essencial fazer inspeções no produto frequentemente;
  • descarga: o uso de luvas é uma prática que protege os funcionários. Envolva o menor número de profissionais tanto em cima do caminhão quanto no solo. Além disso, nunca arraste as telhas;
  • manuseio das telhas: o material deve ser levado um a um até a cobertura, usando um sistema convencional de elevação.

O que fazer a partir de agora?

Ao ler este conteúdo, você entendeu mais sobre a telha metálica e os benefícios que o material proporciona em um canteiro de obras. Um galpão que tem telhas metálicas em sua estrutura garante maior controle termoacústico do ambiente interno.

As gestões que utilizam esse material são mais produtivas, já que o processo de montagem é simples e prático. Como consequência, é possível terminar as atividades em um menor prazo quando comparado com outros modelos construtivos.

Não se esqueça de que a telha metálica também pode ser produzida em diversos modelos, como arcos e coberturas de até 13 metros.

Todas essas características mostram ao mercado que o material faz toda a diferença na otimização do gerenciamento logístico e financeiro do canteiro. Como consequência, um engenheiro civil consegue ser mais eficiente, visto que as demandas de seus clientes são atendidas.

Antes de escolher um bom fornecedor, fique atento ao custo-benefício. Avalie as formas de pagamento e os prazos de entrega para tomar a decisão certa. Encontre um parceiro adequado às suas necessidades, que esteja preparado para prestar um serviço de qualidade e que seja autoridade no mercado de telha metálica.

E então, o que você achou do nosso conteúdo? Entre em contato conosco e se prepare para atuar com um parceiro focado em inovação e no valor humano em suas obras!