fbpx

Estrutura para telhado: aço ou madeira, qual escolher?

Estrutura para telhado: aço ou madeira, qual escolher?

Durante a fase de escolha dos materiais e definição da estrutura para telhado de uma obra, poucas pessoas consideram utilizar a estrutura metálica. Apesar de parecer um pouco diferente, esse tipo de telhado pode ser uma alternativa interessante.

É importante lembrar que o principal objetivo do telhado é proteger uma edificação da ação de intempéries e, ainda, atuar como um regulador térmico dos ambientes. Sendo assim, sua estrutura deve ser capaz de suportar o peso próprio de seus componentes, do revestimento, de materiais de isolamento, de cargas de ventos e dos demais elementos que estejam fixados.

O projeto estrutural pode ser extremamente simples, dependendo de cada caso. Contudo, definir a matéria-prima de execução é fundamental para o empreendimento. Essa escolha pode gerar economia de recursos e, principalmente, de tempo.

Você sabe qual tipo de estrutura para telhado escolher: aço ou madeira? Continue a leitura deste artigo e veja as principais informações sobre cada uma dessas alternativas.

Quais são as principais características do aço?

As estruturas de aço estão começando a ser utilizada no Brasil, e  entre as vantagens destaca-se a rapidez de instalação e a menor geração de resíduos. Esse tipo de estrutura normalmente é produzida em fábricas, necessitando apenas de montagem no canteiro de obras.

Dessa forma, é possível evitar o desperdício de material e, ainda, evidenciar a agilidade do processo. Comparado com a estrutura de madeira, a velocidade de execução do aço chega a ser três vezes maior.

Outro ponto que merece certa atenção em relação às estruturas de aço é o fato de elas contribuírem para o meio ambiente. O seu uso, em detrimento das estruturas de madeira, evita o desmatamento de árvores e, caso aconteça a sobra de materiais, podem ser utilizados para outros fins.

O preço para a fabricação de estruturas de aço está diretamente relacionado com o seu peso. Então, quanto mais leve é a estrutura para as telhas, mais econômica ela é. Por fim, mas não menos importante, esse tipo de estrutura é produzida com precisão milimétrica, ou seja, a tolerância aos erros é baixíssima.

Quais são as vantagens e desvantagens da estrutura de aço?

As estruturas de aço apresentam alguns pontos que merecem o destaque e que, certamente, fazem a diferença na hora de escolher a melhor estrutura para o telhado. É importante evidenciar que esse tipo de estrutura precisa da devida proteção contra ferrugem, garantindo uma vida útil maior. Veja a seguir mais vantagens e desvantagens.

Vantagens da estrutura para telhado de aço

  • peso próprio: a estrutura metálica é mais leve que a de madeira e que a de concreto. Assim, podemos contar com peças mais esbeltas e que sobrecarreguem menos a fundação;
  • prazo de execução: quando os primeiros serviços da obra começarem, a fabricação da estrutura metálica também pode iniciar. Assim, quando chegar o momento certo é preciso apenas instalá-las (por meio de aparafusamento, soldagem ou arrebitamento);
  • organização: o canteiro de obras fica mais organizado, pois as peças são produzidas em fábricas e apenas montadas na obra. Além disso, não há desperdício de materiais;
  • amiga do meio ambiente: além de reduzir o desmatamento, esse tipo de estrutura pode ser desmontada e reaproveitada. É importante lembrar que o aço é 100% reciclável e o desperdício em sua utilização é praticamente zero;
  • garantia de qualidade: como a sua produção é industrial e as fábricas obedecem a controles de qualidade, o produto final dificilmente apresenta grandes problemas;
  • alta resistência contra intempéries.

Desvantagens da estrutura para telhado de aço

  • mão de obra especializada: a escolha do aço para estrutura do seu telhado necessita de mão de obra qualificada, o que pode ser difícil de encontrar no Brasil. Obviamente, essa mão de obra é mais cara quando comparamos com a instalação da estrutura de madeira.
  • desembolso em curto prazo: como a fabricação e a montagem são atividades rápidas, o desembolso com a sua estrutura deve ser feito em um tempo menor, quando se compara com as estruturas de madeira.
  • tratamento: o aço necessita de um tratamento especial com tinta para garantir sua proteção contra corrosão, garantindo a sua durabilidade.

E as características da estrutura de madeira?

A madeira é um dos materiais de construção mais antigos e mais utilizados em todo o mundo. Em quase todas as obras é possível encontrar a aplicação dessa matéria-prima. O seu peso próprio é uma das vantagens, que chega a ser um terço mais leve que as estruturas de aço.

Os custos de mão de obra também não são altos, pois a sua construção é simples, não necessitando de conhecimentos especiais. Já o seu preço pode variar demasiadamente, principalmente por conta da qualidade das peças a serem utilizadas. Sendo assim, seu telhado pode sair caríssimo ou pode ter um preço em conta.

A madeira ainda é amplamente utilizada em estrutura para telhado. Obviamente, é preciso dar o devido tratamento, garantindo a sua durabilidade. Contudo, as recentes preocupações com o meio ambiente e a constante necessidade de diminuir o tempo de construção das edificações está fazendo com que a madeira fique em segundo plano.

Quais são as vantagens e desvantagens da estrutura de madeira?

Assim como as estruturas de aço, as estruturas de madeira apresentam alguns pontos interessantes. Não podemos deixar de mencionar que a madeira está sujeita à ação de cupins, à variação de temperatura e outras interferências. Veja, a seguir, mais vantagens e desvantagens.

Vantagens da estrutura para telhado de madeira

  • disponibilidade: a madeira é um material fácil de ser encontrado e fácil de ser manuseado;
  • as ligações e emendas são simples de serem executadas;
  • a madeira é natural, reaproveitável e renovável;
  • o custo de aquisição e instalação é relativamente baixo;
  • não exige a contratação de mão de obra de alta qualificação;
  • não necessita de equipamentos e ferramentas específicas;

Desvantagens da estrutura para telhado de madeira

  • a madeira é um material orgânico e heterogêneo, ou seja, pode apresentar muita variação entre as peças;
  • a madeira absorve e perde umidade com facilidade;
  • a dilatação e a contração também ocorrem com frequência, permitindo alterações em suas dimensões;
  • é preciso tratá-la contra o ataque de insetos e fungos;
  • é preciso prover um tratamento antichamas;
  • uma viga de madeira exige o corte de uma grande árvore;
  • a sua utilização propicia ações de desmatamento.

Obviamente, a escolha da melhor estrutura para telhado depende de inúmeros fatores. Analisar as vantagens e desvantagens do aço e da madeira é de grande valia para essa definição. É preciso colocar no papel, identificar os pontos mais importantes para a sua obra e, assim, realizar a melhor escolha possível.

E aí, gostou do nosso artigo? O que achou das opções de estrutura para telhado? Costuma se interessar pelo tema? Então curta nossa página no Facebook, siga-nos no Twitter e acompahe todas as nossas postagens!

Feira de construção civil: conheça as 6 principais para visitar!

Feira de construção civil: conheça as 6 principais para visitar!

Participar de uma feira de construção civil é uma oportunidade única para os profissionais e para as empresas do setor. Esse tipo de evento fornece vários benefícios, como troca de experiências, networking, oportunidades de negócio e exposição dos seus produtos. Portanto, para quem quer crescer no mercado, a participação deve ser obrigatória. O ideal é enviar seus representantes sempre que o evento for pertinente para a sua área de atuação.

Por isso, separamos cinco dos eventos nacionais e internacionais mais importantes para que você não perca nenhum deles. Vamos explicar o escopo de cada um e os motivos pelos quais você deve participar. Quer saber mais? Então, não deixe de acompanhar o nosso post até o final!

1. Construsul

A Construsul é um dos eventos mais tradicionais da construção civil brasileira, tanto que, em 2020, contará com sua 23ª edição. Ela reúne toda a cadeia produtiva para discutir e intercambiar as principais tendências tecnológicas, inovações e oportunidades de negócio. Assim, permite um desenvolvimento uniforme e sustentável.

A principal característica da Construsul é a sua amplitude, pois engloba várias áreas, como infraestrutura, maquinário e acabamento. Assim, você poderá trocar experiências com representantes dos segmentos de:

  • argamassas e aditivos para concreto;
  • iluminação e eletrotécnica;
  • peças complementares para construção civil, como portas, fechaduras, janelas;
  • acessórios e peças para ambientes residenciais, como cozinhas e banheiros;
  • produtos de acabamento, como vernizes, tintas, revestimentos e outras substâncias análogas;
  • sistemas construtivos;
  • máquinas e equipamentos de construção;
  • ferramentas para canteiros de obra etc. 

O evento é promovido pela Sul Eventos Feiras Profissionais, o que garante a qualidade da infraestrutura e da recepção. Por isso, tem conquistado a presença de vários tipos de públicos, como construtoras, decoradores, arquitetos, engenheiros, instituições governamentais e indústrias. A próxima edição acontecerá em 2020 entre os dias 21 a 24 de julho. 

2. Feicon Batimat

Esse é outro evento bastante eclético, cujo objetivo é reunir a maior gama de profissionais e empresas de toda a construção civil. Desse modo, é possível torná-lo uma oportunidade única de aprendizado, pois o intercâmbio de experiências diferentes pode trazer bastante inovação e criatividade para todos. Por essa razão, o lema da Feicon Batimat é “referência que inspira, construção que transforma”.

De acordo com os organizadores, o objetivo é justamente proporcionar uma variedade de experiências e focar o conteúdo, os relacionamentos e a inovação. Desse modo, todo o setor pode andar junto para que o país seja uma grande potência mundial na construção civil. Afinal, nesses eventos, não há concorrentes, mas colegas que podem se ajudar e fazer parcerias de longa data. A próxima edição acontecerá entre 31 de março e 3 de abril de 2020. 

3. Expo Revestir

Agora, vamos explorar alguns eventos mais específicos de alguns segmentos da construção. A Expo Revestir é um ótimo exemplo para começar: não é sem razão que seu grande lema é “nunca paramos de inovar”. É uma feira cujo objetivo é fornecer uma experiência única, totalmente diferente daquela a qual os participantes estão acostumados. 

Um dos grandes diferenciais, por exemplo, é o agrupamento dos eventos em dois períodos diferentes: os business days e os creative days. Em alguns dias, o foco será totalmente dedicado à criação de oportunidades de negócio, com exposições de produtos, rodadas de negociação, apresentação de revendedores etc.

Já a outra parte do evento vai ser voltada para a troca criativa, nas quais os participantes podem partilhar ideias, participar de fóruns de discussão e integrar-se com entidades e editoras do setor. Afinal, é muito difícil explorar a criatividade no meio de negociações. Portanto, o ideal é ter um tempo e um espaço reservados para deixar fluir o conteúdo criativo.

Além disso, outra novidade interessante do evento é o Fórum Internacional de Arquitetura e Construção, que acontecerá paralelamente ao evento. Nele, vários participantes internacionais poderão se reunir em uma programação diária orientada de acordo com o setor: “Dia do Designer”, “Dia do Revendedor”, “Dia do Construtor” e “Dia do Arquiteto”. 

Ao final da Expo Revestir, você conhecerá todas as tendências e oportunidades do setor de revestimentos, louças sanitárias, metais para cozinhas e banheiros, técnicas e materiais de acabamento, entre outras. Não se esqueça de marcar esse evento na agenda, ele acontecerá entre 10 e 13 de março de 2020.

4. AHR Expo

Para quem está procurando uma opção de evento internacional, a ANR Expo é uma excelente opção, pois é o maior evento de construção civil do mundo. Ela atrai centenas de empresas de vários países. Talvez seja por esse motivo que ela já completa 89 anos! Lá, você encontrará uma ampla gama de profissionais, como engenheiros, contratados, operadores de instalações, arquitetos, educadores etc. 

A próxima edição ocorrerá entre 3 e 5 de fevereiro de 2020 no Centro de Convenções de Orange County na cidade de Orlando, Flórida. Assim, você poderá se encontrar com os principais atores de empresas de engenharia e design / construção, empresas contratantes, distribuidores e empresas de representação, bem como empresas de serviços públicos, operadores comerciais, industriais e institucionais, educadores e imprensa.

5. Congresso Brasileiro do Concreto

Agora, vamos falar de um evento com um foco um pouco mais acadêmico, voltado também para o intercâmbio de experiências e pesquisas de manipulação de concreto. Ele é promovido pelo Instituto Brasileiro do Concreto. Assim, consolidou-se como o maior fórum técnico nacional para o compartilhamento de inovação e tecnologia em concreto e outros sistemas construtivos. 

A organização explica que o principal objetivo é a divulgação anual das novidades tecnológicas e técnicas em vários segmentos, como gestão e normalização técnica, análises e projetos estruturais, materiais de construção e suas propriedades, bem como metodologias construtivas. A próxima edição acontecerá entre 15 e 18 de outubro de 2019 em Fortaleza, Ceará. 

6. Ecoenergy

Todo mundo que trabalha com construção civil sabe que a grande tendência para os próximos anos é a sustentabilidade ambiental. Então, é importantíssimo que os profissionais do setor se preparem, ao máximo, para entregar as expectativas do público. Nesse sentido, a presença na Ecoenergy é imprescindível.

Lá, você conhecerá tudo sobre projetos de energia eólica, biomassa, painéis fotovoltaicos, novos combustíveis etc. Assim, você garante que todo o seu processo produtivo tenha utilizado as melhores técnicas e recursos para poupar o meio ambiente. 

Com essas feiras de construção civil, você poderá ficar atualizado com as principais tendências do mercado contemporâneo. Consequentemente, jamais ficará defasado em um setor que se desenvolve cada vez mais todos os dias. Além de muito conhecimento, você também colherá várias oportunidades de negócios e ampliará seu networking.

Gostou do nosso post com as principais dicas para ter sucesso na construção civil? Então, aproveite para compartilhá-lo em suas redes sociais!

Confira 7 maiores vantagens de adotar o isolamento acústico no teto

Confira 7 maiores vantagens de adotar o isolamento acústico no teto

A atividade humana costuma gerar muitos sons, o que pode desencadear um problema chamado de poluição sonora em alguns casos. Para evitá-lo, o isolamento acústico no teto é imprescindível, pois pode reduzir grande parte dos ruídos sem nenhum acréscimo de custo significativo nas obras (quando comparado às telhas tradicionais).

Isso é importantíssimo tanto no ambiente corporativo quanto no residencial. Principalmente nos centros urbanos, vários fatores levam ao excesso de barulho, prejudicando a saúde de todos. Quer saber mais sobre o isolamento acústico no teto e suas vantagens? Então, confira nosso post!

Como o isolamento acústico no teto funciona?

O funcionamento dessa tecnologia é bem simples e se baseia nas estruturas dos materiais. O som é transmitido pelas vibrações em cadeia nas moléculas da fonte do som até nossos ouvidos, através do ar, das paredes e do teto.

Há determinados materiais cujas moléculas se agitam facilmente, enquanto outros têm muito mais dificuldade. O isolante acústico é bem resistente à propagação de sons, pois suas partículas não transmitem a vibração facilmente. São vários os materiais que podem trazer essa característica, como:

  • fibras vegetais, animais e sintéticas;
  • espumas;
  • mantas de derivados do plástico ou de rochas etc.

Tais itens inclusive podem ser instalados entre telhas de metais, evitando o excesso de condução acústica. Além disso, trazem como benefício o isolamento térmico, melhorando o clima dentro do edifício. 

Quando o isolamento acústico é necessário?

O isolamento acústico é útil em diversas situações, mas em geral se mostra importantíssimo para a cobertura de todas as construções, pois evita a entrada e a saída de ruídos. Na atividade industrial, por exemplo, ele ajuda na conformidade das fábricas em relação às leis e regulamentações de poluição sonora.

No comércio, também pode aumentar o conforto de clientes e empregados. Por fim, nos ambientes residenciais, o isolamento reduz a entrada de barulhos, melhorando o bem-estar e a saúde dos moradores.

Quais são suas vantagens para as construções?

Para conhecer mais vantagens detalhadamente, confira os próximos tópicos!

1. Privacidade

Podemos dizer que a principal vantagem do isolamento acústico de teto é a privacidade tanto para casas quanto nos apartamentos, em ambientes residenciais ou comerciais. Afinal, abafa-se grande parte dos sons originados no interior dos locais, impedindo que conversas importantes ou intimidades sejam escutadas por vizinhos. 

Nas empresas, isso é essencial para manter as estratégias em segredo e evitar que os concorrentes as conheçam ou tomem medidas para combatê-las. Sem privacidade, torna-se impossível manter uma vantagem competitiva por muito tempo.

Da mesma forma, os moradores das residências não querem ter suas intimidades expostas a outras pessoas, pois isso gera muitas consequências negativas, como fofocas. Sem contar que você precisa de liberdade na sua casa para poder falar e fazer o que quiser, concorda?

2. Diminuição de ruídos

Os ruídos são todos aqueles sons produzidos pela atividade humana. Conseguimos tolerá-los sem qualquer problema até certo nível, mas eles provocam uma elevação do estresse quando ficam excessivos e vêm de várias fontes.

O isolamento acústico de teto pode não acabar com todos os ruídos, mas alivia boa parte — o que torna os outros muito mais toleráveis. 

3. Tranquilidade

O isolamento acústico funciona em ambas as direções, evitando também a entrada de sons produzidos no exterior. Isso é especialmente útil em edifícios de alvenaria, os quais transmitem qualquer impacto ocorrido nos vizinhos para as partes de dentro dos apartamentos.

Se você não quer ser incomodado pelo excesso de movimentação no andar de cima, não deixe de instalar essa tecnologia. No caso das empresas, a poluição sonora pode inclusive afastar os clientes que priorizam o conforto acima de tudo.

Em casas, grande parte do barulho que entra no ambiente interno se deve à falta de isolamento nos tetos, afinal as paredes são muito mais grossas e refletem a maioria dos sons. Os tetos, por outro lado, são construídos com telhas mais finas e materiais não isolantes na maioria das vezes, como a cerâmica e o alumínio. 

4. Silêncio

Nas grandes cidades, a poluição sonora é um problema que incomoda muitas pessoas e pode contribuir com o surgimento de doenças vasculares ou cardíacas, depressão, ansiedade e insônia. Isso porque o estresse gerado pelo barulho ativa nosso sistema nervoso, deixando-o em um estado de alerta desnecessário.

O isolamento acústico no teto traz silêncio para os moradores — o que reduz um fator de estresse da vida atribulada nos centros urbanos. Aliado a outras estratégias para sua construção, vai ser como se você morasse em uma comunidade calma mesmo estando em regiões com tráfego mais intenso de veículos.

5. Boas noites de sono

Consequentemente, não haverá quase nenhum som externo para prejudicar seu sono durante a noite e provocar despertares no meio da madrugada. O isolamento pode ser uma medida ambiental imprescindível para quem sofre de insônia e não quer usar remédios para dormir.

Em apartamentos, os vizinhos de cima podem acabar produzindo algum barulho mesmo sem querer, principalmente se tiverem uma rotina muito diferente da sua. Há pessoas com filhos mais novos, que chegam tarde do trabalho ou com um horário de sono alternativo. Portanto, é muito mais prático instalar uma tecnologia de abafamento acústico do que ficar brigando desnecessariamente.

6. Conforto

Todas as vantagens acima se traduzem em maior conforto. É muito ruim estar dentro de casa ou no trabalho sem um ambiente agradável devido à poluição sonora. Por essa razão, o isolamento pode trazer muito bem-estar a todos os moradores de uma residência.

7. Menos vibrações na parede

Você sabia que grande parte das vibrações geradas pelos impactos é transmitida pelo ar ou pela continuidade das estruturas através das estruturas do teto? Quem mora nas regiões movimentadas das cidades se incomoda bastante com esse problema, pois cada veículo pesado ou em alta velocidade que passa nas vias públicas gera um “miniterremoto” dentro das construções.

Da mesma forma, quem mora em prédios de alvenaria não precisará mais ficar reclamando com os vizinhos sobre crianças brincando ou movimentos noturnos. Portanto, o isolamento acústico do teto é importantíssimo em todo e qualquer projeto, independentemente da finalidade.

A poluição sonora pode se mostrar muito prejudicial à saúde e ao bem-estar das pessoas, sendo capaz inclusive de levar a doenças físicas. Para evitá-las, basta adotar medidas simples, como a instalação de telhas termoacústicas, que não trazem muitos custos adicionais às obras.

Gostou de saber mais sobre o isolamento acústico no teto e quer descobrir outras tecnologias relacionadas? Então, confira as principais vantagens de utilizar a cobertura em arco!

BDI na construção civil: entenda como ele interfere na obra

BDI na construção civil: entenda como ele interfere na obra

Todo o fluxo financeiro de uma obra deve ser calculado com muita exatidão, senão o custo pode ultrapassar o orçamento, gerando prejuízo para a empresa ou para o cliente. Para isso, os engenheiros criaram uma fórmula muito eficiente, o BDI na construção civil. Ele consegue incorporar os custos indiretos — os quais geralmente passam desapercebidos — e pode fazer estimar melhor um preço de venda equilibrado.

Para que você melhore a gestão da sua obra ou reforma, vamos explicar detalhadamente sobre esse indicador tão importante. Para isso, vamos explicar as diferenças entre os custos diretos e indiretos, como é feito o seu cálculo, qual a sua importância e como ele pode ser aplicado. Ficou interessado? Então, acompanhe!

O que são custos diretos e indiretos?

Na maioria das vezes, a distinção entre essas duas categorias é bem clara, mas, em outras, o gestor pode achá-la um pouco mais sutil. Então, vamos conceituá-las detalhadamente:

Custos diretos

São aqueles insumos e serviços utilizados diretamente no projeto, como materiais de construção, mão de obra, tempo de equipamento etc. Além disso, devem incluir também todos as taxas que incidem sobre esses pontos, como os impostos trabalhistas, os encargos sociais, taxas sobre equipamentos etc.

Custos indiretos

São aqueles gastos que não estão diretamente ligados à edificação em si, mas, mesmo assim, são inevitáveis durante a execução. Alguns exemplos mais simples são: instalação e desmobilização do canteiro de obras, custo com administração da obra, seguro e a maioria dos tributos, como PIS, COFINS, IRPJ etc.

Como calcular o BDI?

Bem, não é uma fórmula muito fácil não, e você provavelmente precisará consultá-la diversas vezes durante a execução dos seus projetos. Ela envolve 9 variáveis diferentes e não se deve negligenciar nenhuma delas:

  • administração central (AC): é toda a despesa relacionada à infraestrutura administrativa empresa de construção civil, como aluguel, pessoal, manutenção, serviços de energia e de telecomunicação etc. Portanto, podem variar de acordo com a eficiência gerencial, o porte da empresa e seus contratos atuais;
  • custo financeiro (CF): todo o dinheiro desvaloriza quando não está aplicado no mercado financeiro em títulos seguros, como poupança e tesouro direito. O custo financeiro é a diferença entre o rendimento provável se o capital fosse aplicado em investimentos menos o próprio capital; 
  • seguros (S): todo o projeto tem um custo estimado e, para reduzir os riscos, seu negócio deve fazer um seguro contra algumas eventualidades. O S da fórmula representa o custo do seguro básico;
  • garantias (G): refere-se a uma ampla gama de possibilidades, como caução, fiança bancária, seguro-garantia etc. Tudo aquilo que sua empresa usa para garantir o adimplemento aos fornecedores e investidores;
  • margem de incerteza (MI): são todas as despesas causadas por riscos não cobertos pelo seguro. Em geral, sua empresa deve reservar entre 5% e 10% do custo bruto estimado do projeto;
  • tributos municipais (TM), como o imposto sobre serviços (ISS)
  • tributos estaduais (TE), sendo o principal o ICMS;
  • tributos federais (TF): PIS, COFINS, CSLL e IRPJ;
  • margem bruta de contribuição: é a lucratividade prevista para todo o projeto. 

Agora que você conhece todas as variáveis, é possível calcular com exatidão o BDI:

BDI ={[(1+ AC + CF + S + MI)/(1 – TM – TE – TF – MBC – G)] – 1} x 100

Todos essas variáveis, no entanto, devem ser apresentadas de forma proporcional. Assim, deve somar o valor bruto de todos eles e verificar a porcentagem que cada um representa em relação ao montante final.

Mas você não precisa se preocupar com essa fórmula, pois há aplicativos que fazem o cálculo automaticamente. A única coisa que você precisa fazer é estimar adequadamente o valor de cada variável.

Por que o BDI na construção civil é tão importante?

Ele é essencial para que sua empresa estime o preço de venda de cada unidade adequadamente, reduzindo o risco de prejuízo ou de uma baixa taxa de lucratividade. Afinal, esses fatores podem comprometer o orçamento da sua empresa, levando-a à falência rapidamente. Você precisará ter um saldo sempre positivo para que haja capital de giro suficiente para investir em novos projetos.

Há, inclusive, uma fórmula para calcular o preço de venda de acordo com o BDI:

PV = Custos Diretos x (1 + BDI/100%)

Com isso, você pode oferecer um preço mais competitivo em relação aos seus concorrentes, que provavelmente ainda não utilizam o BDI como um parâmetro. 

Além disso, se sua empresa participa de licitações, esse indicador é exigido por lei nos orçamentos apresentados por sua empresa para participar de editais de obras públicas. É a partir do BDI que o Tribunal de Contas da União fará a fiscalização da sua obra, podendo os contratos serem anulados caso sejam constatadas fraudes em seu cálculo. 

Como o BDI ajuda no planejamento financeira da obra?

Todas as variáveis presentes no cálculo do BDI podem ser otimizadas com ações de gestão. Então, isso oferece um norte para que o gestor tome as ações certas em relação aos custos indiretos, como:

  • planejamento tributário: algumas medidas de conformidade fiscal podem ajudar a evitar multas aplicadas pelo atraso ou por erros na declaração de impostos;
  • seguros: um mapeamento de riscos ajuda a elencar os principais e mais prováveis eventos adversos em uma obra de forma que você procura um seguro com uma cobertura completa e personalizada — trazendo um menor custo e uma maior proteção;
  • garantias: optar pela garantia certa impede que sua empresa tenha de pagar por serviços financeiros com custos mais elevados;
  • margem de incerteza: a escolha de fornecedores de insumos e equipamentos reduz os riscos dentro da obra, como falhas na estrutura, reduzindo a margem de incerteza etc.

Muitas vezes, devido a dificuldades em organizar os custos indiretos, o gestor acaba concentrando muito nos diretos. Isso impede um planejamento completo focado na eficiência e na redução de custos.

Portanto, o BDI na construção civil representa um grande passo para melhorar a gestão da sua empresa. Uma das principais críticas a esse setor no Brasil é devido a problemas administrativos que impedem um aumento da eficiência. Assim, a utilização de métricas e indicadores se torna essencial para ganhar competitividade nacional e internacional,

Quer conhecer outras atitudes que podem melhorar bastante o planejamento da sua obra? Então, confira 6 razões para utilizar um aplicativo de gestão de projetos.

Tudo o que você precisa saber sobre laje steel deck

Tudo o que você precisa saber sobre laje steel deck

A laje steel deck é composta por uma espécie de sanduíche formado por telhas de aço galvanizado em formato trapezoidal na extremidade e uma camada de concreto no interior. Essas telhas servem de fôrma para o concreto durante o processo de concretagem, mesmo que ele contenha armadura positiva.

Além disso, apresentam formato de nervuras largas que contêm conectores de cisalhamento. Estes permitem que o aço e o concreto interajam, reduzindo, assim, o peso da estrutura. Como o aço é um ótimo material para resistir a esforços de tração e o concreto a esforços de compressão, essa é uma excelente combinação e proporciona uma série de benefícios construtivos.

Quer entender mais sobre a laje steel deck e descobrir quais são os seus benefícios? Então, continue a leitura!

O que é laje steel deck?

A laje steel deck é uma solução muito interessante para obras e empreendimentos que demandam uma solução construtiva de excelente custo-benefício, maior rapidez e oportunidade de controle do processo. O steel deck é um sistema de laje mista composto por telha de aço galvanizado, concreto, armadura, conectores e telha nervurada.

As fôrmas de aço galvanizado podem ter espessuras que variam de 0,80 mm a 1,20 mm e comprimento aproximado de até 12 metros. São formadas a frio e permanentes, servindo tanto para a concretagem quanto como armadura positiva no que diz respeito a cargas de serviço.

Essa fôrma apresenta ranhuras que estarão em contato com o concreto para proporcionar maior aderência e, consequentemente, uma melhor superfície de ancoragem. Além disso, contém telas eletrossoldadas cuja atuação é de armadura negativa para prevenir o aparecimento de trincas na laje.

O steel deck permite que durante a execução as escoras sejam eliminadas parcial ou totalmente. Dessa forma, é possível realizar diversas outras atividades e etapas em um empreendimento, uma vez que o espaço não estará ocupado.

Como o uso do steel deck é recente no Brasil, o sistema ainda não apresenta uma norma técnica específica. Portanto, os textos utilizados como referência na execução desse sistema construtivo são os da NBR 6118 e da NBR 8800.

Quais são as principais vantagens da laje steel deck?

A laje steel deck apresenta diversas vantagens para um empreendimento, tanto durante a etapa de projeto quanto na execução e na utilização da edificação. Abaixo separamos as principais.

Pode ser usada em diversos tipos de estrutura

O modelo steel deck pode ser usado em diferentes tipos de construção — obras industriais, comerciais e residenciais —, uma vez que apresenta elevada qualidade e resistência e por suportar vãos que variam de 2 a 4 metros sem a necessidade de escoras.

Além disso, devido à sua facilidade de execução, maior agilidade, durabilidade e resistência, é indicado para empreendimentos com muitos andares, espaços reduzidos ou em mezaninos.

A laje steel deck também pode receber a pintura eletrostática na face inferior. Esse trabalho gera uma estrutura com eficiência ainda mais elevada e que pode ser aplicada em empreendimentos como shoppings, centros de convenção, hotéis, conjuntos habitacionais, escolas, hospitais, indústrias, mezaninos, garagens, prédios residenciais, entre outros.

Agrega maior velocidade à obra

Como o processo executivo da laje steel deck faz com que a etapa de escoramento seja eliminada ou consideravelmente reduzida, permite executar demais atividades no mesmo local em que a laje foi instalada. Além disso, elimina o tempo empregado na colocação e na retirada de escoramentos, principalmente quando se trata de um empreendimento com dimensões elevadas e muitos pavimentos.

Somado a isso está o fato de a laje steel deck permitir que a passagem dos dutos e das instalações seja mais simples e rápida. Outro fator que proporciona mais velocidade à obra é a facilidade de instalação de forros e o fato de a execução desse tipo de laje não ser afetada pelas condições climáticas.

Tem melhor atuação em situações de incêndio

A laje steel deck apresenta maior resistência a incêndios porque tem uma camada de concreto entre as telhas de aço galvanizado. Essa placa garante isolamento térmico e uma resistência mínima ao fogo de 30 minutos, podendo ser prolongada a 120 minutos quando incluídas armaduras positivas adicionais nas telhas nervuradas.

Garante melhor custo-benefício

Além da maior rapidez, elevada qualidade, resistência e durabilidade, a não necessidade de uso de escoras ou a redução significativa das mesmas diminui — mesmo que parcialmente — os custos com montagem, desmontagem, mão de obra e aluguel. Essa redução é significativa, uma vez que os custos destinados a essas etapas são consideráveis.

Além disso, a redução ou eliminação de escoras permite a realização de trabalhos simultâneos à execução das lajes. O steel deck ainda pode ser utilizado como plataforma de proteção e de serviço para os operários presentes em andares inferiores.

Como a montagem das instalações — tanto elétricas quanto hidráulicas — é facilitada, assim como a execução de forros, o processo executivo se torna mais rápido, demanda menor quantidade de mão de obra e proporciona um retorno financeiro mais rápido.

Contribui para a sustentabilidade

O processo de execução da laje steel deck reduz a geração de resíduos e a sobra de materiais, produzindo menor quantidade de entulho. Isso ocorre porque as telhas são medidas e cortadas de forma a evitar desperdício, já que atendem às necessidades de cada obra. Somado a isso, a fôrma utilizada na fabricação da telha não é descartada.

O projeto estrutural pode ser pensado de modo a aproveitar a geometria das lajes, facilitando a passagem de dutos, a instalação dos forros e evitando ainda mais a produção de resíduos.

Para que todos os benefícios sejam colhidos é essencial que a obra seja planejada adequadamente e com antecedência, considerando tanto a logística para receber o sistema de laje steel deck quanto a definição dos materiais que serão utilizados. A execução também demanda cautela para que a qualidade e a resistência projetadas sejam atingidas.

Gostou deste texto e de entender o que é e quais são os principais benefícios da laje steel deck? Se você quer ficar por dentro de mais assuntos como esse e recebê-los em primeira mão, assine a nossa Newsletter!

Descubra os fatores que influenciam no preço de telhas metálicas

Descubra os fatores que influenciam no preço de telhas metálicas

As telhas metálicas são soluções em crescente desenvolvimento na indústria da construção civil por serem eficazes, econômicas, duráveis e por apresentarem elevada produtividade. Além disso, podem ser empregadas em diversos tipos de empreendimentos, assim como de diversas formas. Contudo, mesmo assim, muitas pessoas não sabem os fatores que interferem no preço das telhas metálicas.

Por desconhecerem esses fatores, geralmente acreditam que essas telhas são mais caras, porém, quando entendem seus benefícios e quais os atributos e características que refletem em seu custo, percebem que sua utilização é extremamente vantajosa e viável técnica e financeiramente — sendo em muitos casos, a melhor opção.

Quer entender mais sobre esse assunto? Então, continue a leitura e não perca nenhuma informação!

O que é telha metálica?

As telhas metálicas têm o aço como matéria-prima, sendo assim muito leves e resistentes a ambientes agressivos como os marítimos, industriais e também a intempéries — reduzindo significativamente custos com manutenção. É possível encontrar diversos tipos de formatos — como trapezoidal e ondulada, espessuras variadas, acabamentos e inclusive opções que incluem isolamento térmico e acústico.

É importante levar em consideração que a telha não é o sistema de cobertura, e sim um dos componentes desse sistema, sendo que isolamentos térmicos e acústicos, estrutura de sustentação do telhado, entre outros aspectos também são relevantes na escolha do tipo de telha e, consequentemente, no tipo de telhado.

Dessa forma, as telhas metálicas apresentam um diferencial de mercado muito interessante: são variados os tipos e alguns já incluem muitas opções de isolamento térmico e acústico, assim como de revestimento — atendendo a resistência desejada e possibilitando o uso em diversos tipos de ambientes.

Quais os principais tipos e o preço de telhas?

A definição da telha ideal é feita com base no tipo de edificação, as necessidades dos usuários, no custo disponível e na logística do canteiro — afinal, é importante levar em consideração aspectos como recebimento, armazenagem e montagem.

Além disso, também é definido pela dimensão do vão e da inclinação necessária. Por exemplo, se o vão for de 40 metros, pode-se utilizar a Telha Metálica Trapezoidal RT 100/952 que demanda uma inclinação de apenas 5%.

Já quando se deseja uma inclinação maior, a Telha Trapezoidal RT 260/260 é uma excelente opção, além de ser capaz de cobrir vãos de até 13 metros sem a necessidade de apoio. Contudo, existem outros tipos de telha, que apresentam diferenças principalmente em sua composição, conforme descrevemos a seguir.

Telhas termoacústicas

Essas telhas, também denominadas de telha sanduíche, apresentam a capacidade de isolar o som em um ambiente, assim como a temperatura. São compostas por chapas metálicas em sua extremidade e material isolante no meio. A espessura do material isolante é definida pelo grau de isolamento necessário em cada projeto, contudo, a espessura de 30 mm é a mais usada.

O uso dessas telhas, inicialmente pode impactar o custo da construção, contudo, reduzem o consumo energético e proporcionam maior conforto aos usuários, sem a necessidade de utilizar ventiladores ou ares-condicionados.

Telhas translúcidas

São aquelas que permitem a entrada da luz natural, o que é cada vez mais interessante tanto do ponto de vista econômico quanto do ponto de vista ambiental, uma vez que é uma solução mais ecoeficiente — pois proporciona maior economia na energia elétrica.

De mesma forma que as telhas termoacústicas, inicialmente seu custo pode parecer superior aos demais tipos de telha, porém, a economia resultante é significativa, proporcionando um custo-benefício maior.

Telhas de fibrocimento

Essa é uma opção mais acessível, além de ser considerada ecológica. Entretanto, mesmo apresentando menor custo, ela demanda uma estrutura mais robusta e prejudica o conforto térmico da edificação — pois aumenta a temperatura média do ambiente, podendo, em alguns casos, deixar de ser interessante financeiramente.

Telhas especiais

Além das telhas metálicas, translúcidas e termoacústicas, existem outras com funções e características variadas como as multidobra que são altamente flexíveis, as telhas calandradas que são produzidas a partir de perfis RT 17, as telhas perfuradas que também contam com lã de rocha e evitam a reverberação acústica, as de lambril que são feitas com aço carbono e diversos tipos de pintura que consistem em tratamento para que a superfície da telha apresente as características necessárias.

Quais os principais fatores que influenciam o preço de telhas metálicas?

As telhas metálicas têm como principal componente o aço. Como o aço é uma commodity, apresenta grande oscilação de preço, interferindo significativamente no custo final. Contudo, outros fatores interferem na definição do custo, uma vez que a espessura do material, o acabamento, raio de entrega, entre outros, representam grande influência nesse valor final. A seguir, separamos os principais fatores.

Revestimento da matéria-prima

As telhas metálicas são feitas de aço e esse é um material que pode oxidar em seu estado natural. Assim, é importante a aplicação de revestimentos que a protejam, como no caso da galvanização, das telhas zincadas, do aço inoxidável ou do aço carbono, e das ligas de alumínio — também conhecidas como galvalume.

Revestimentos térmicos

São variados os tipos de revestimentos térmicos que podem compor as telhas metálicas. As telhas que apresentam esses revestimentos são denominadas termoacústicas e podem ter como componente isolante EPS, PUR, PIR, entre outros materiais.

É importante ressaltar que as telhas termoacústicas com PUR e PIR são altamente eficazes e apresentam durabilidade e resistência elevada, sendo, por isso, mais caras que as demais. Além disso, outro fator que interfere no preço das telhas termoacústicas é a espessura da espuma térmica, que pode ser de 0,30mm a 0,50mm — sendo que quanto maior a espessura, mais cara ela fica.

Espessura da chapa

A telha é vendida em chapas e o preço de cada uma é definido de acordo com seu peso por metro linear. Dessa forma, quanto mais espessa for uma chapa, maior será seu peso e, consequentemente, maior o preço.

Prazo de entrega

Quando o prazo de entrega é menor, em geral o custo do frete é maior, dessa forma, o custo final é afetado, pois talvez seja preciso contratar um transporte mais caro.

Distância entre local de compra e entrega

O raio de entrega, ou seja, a distância entre o local de compra e o de entrega é um dos fatores que mais impactam o custo final. Quanto mais longe de uma unidade, maior é o valor final, pois o frete é incluído e pago pelo cliente.

Volume da compra

O volume da compra também impacta o preço, afinal em uma compra maior, é possível realizar um desconto mais significativo. Além disso, quando um cliente realiza grande volume de compra, em uma ou em várias vezes, é possível oferecer preços mais competitivos, visando à fidelização. Portanto, esse aspecto é variável, interferindo de acordo com a característica de cada cliente e/ou compra.

Forma de pagamento

A forma de pagamento apresenta determinada influência no custo final uma vez que, em geral, quando o pagamento é efetuado à vista, é possível oferecer descontos, resultando um menor valor final.

Quais as principais vantagens da telha metálica?

Melhor desempenho

Ao contrário do que a maior parte das pessoas pensam, a telha metálica — mesmo in natura — apresenta melhor desempenho térmico e acústico que as telhas de barro. Assim, sua performance é mais eficiente.

Mais possibilidades de uso

As telhas metálicas podem ser de diversos formatos, espessuras, revestimentos e tamanhos, possibilitando que projetos arrojados sejam desenvolvidos com maior facilidade, atendendo necessidades específicas e genéricas do mercado de forma eficiente.

Variedade de aplicações

As telhas metálicas já não são aplicadas apenas em coberturas. Hoje, são utilizadas como revestimento para paredes, como detalhes decorativos, entre outras opções de uso.

Como se vê, as telhas metálicas proporcionam diversas vantagens, por isso seu uso tem sido crescente. Algumas vantagens são: alta qualidade, resistência superior, durabilidade, agilidade na montagem e maior produtividade.

Além disso, proporcionam maior precisão por apresentarem dimensões milimétricas, maior flexibilidade possibilitando diversos usos arquitetônicos, leveza, necessidade de menor inclinação — entre 2% a 15%, e possibilitam uma obra limpa.

Por isso, entender o preço de telhas faz toda a diferença, assim, a escolha será pautada no custo-benefício real e não apenas naquilo que parece ser mais interessante economicamente em um primeiro momento.

Gostou desse texto? Então, aproveite a visita ao blog, leia o texto “Como escolher o melhor tipo de telha para cada cobertura?” e se torne um expert no assunto!