PoC na Construção Civil: como aplicar esse método?

4 minutos para ler

O ramo de construções é um dos setores que mais movimentam a economia de um país, e com o Brasil não é diferente. As empresas atuantes devem buscar maneiras de se diferenciar para superar a concorrência. É nesse cenário que surge a necessidade de aplicar o PoC na construção civil.

Este artigo tem o objetivo de mostrar a você que índice é esse, quais são seus conceitos e suas aplicações. Lendo até o final, você saberá quais são os ganhos para o setor da construção ao utilizar esse percentual e aprenderá de que forma ele deve ser calculado. Acompanhe!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

O que é PoC?

O ramo de construção civil é bastante concorrido, em grande parte por conta de suas taxas de retorno. Quando bem empregados os recursos e a mão de obra, essa taxa tende a ser bastante atrativa. É estratégico para as empresas do setor a busca por um diferencial competitivo para se destacar no mercado, e é aí que surge a metodologia PoC.

Na tradução do inglês, a sigla significa “índice de confiança” (Percentage of Compliance). Esse índice é utilizado para medir o grau de confiança demonstrado por determinada empresa do ramo de construção civil. É um paradigma intrínseco ao setor devido à sua característica de tempo de entrega de seus produtos, já que a construção de empreendimentos pode levar anos.

Como o PoC na construção civil pode ser usado?

É bastante comum que empresas de construção civil tenham várias obras em andamento ao mesmo tempo. O PoC leva isso em consideração. Por meio de seus cálculos de aquisições e expectativa de finalização de cada operação, atesta o percentual de confiança que uma empresa tem em honrar os compromissos assumidos junto aos adquirentes dos imóveis.

Sendo assim, esse índice de confiança tem utilidade de mão dupla em seu mercado alvo: para as construtoras, serve de medidor quanto à sua capacidade de levar adiante seus empreendimentos ativos e informa também se ela pode se comprometer com novas obras; ao mesmo tempo, demonstra aos clientes que ela terá plenas condições de realizar suas entregas.

Outra vantagem que o PoC oferece às construtoras é indicar o número de unidades que determinado empreendimento precisa vender antes de iniciar suas obras ― a famosa “venda na planta”. Essa estimativa garante que a empreitada será viável economicamente e que poderá ser levada até a conclusão.

Como é feito o cálculo?

Antes de mais nada, é importante levar em consideração que o PoC deve ser calculado por um profissional especializado. Por incrível que pareça, esse especialista não é um gestor de obras: deve ser alguém da área contábil.

Para se chegar ao PoC, é essencial conhecer duas variáveis. A primeira delas é o custo orçado, que representa a estimativa de gastos para a conclusão da obra. A segunda variável é o custo incorrido, que representa todo o valor gasto até então com o andamento das atividades.

Dividindo-se o custo incorrido pelo custo orçado, teremos uma indicação, por exemplo, de qual é o percentual do andamento da obra. Se o custo orçado foi de R$ 1 milhão e, até o momento, foram gastos R$ 500 mil, significa que o PoC dessa obra é de 50% no momento. Isso significa que ela foi construída, pelo menos, já até sua metade.

Com a concorrência cada vez mais acirrada, é imperioso que as empresas mostrem diferenciais aos seus clientes. Nesse sentido, aplicar o PoC na construção civil é uma ótima alternativa, pois demonstra mais segurança financeira e credibilidade aos seus potenciais clientes. É uma opção inteligente e que gera mais confiança a todos os envolvidos nessa cadeia produtiva.

Gostou de conhecer mais um importante conceito da construção civil? Deixe seu comentário indicando os pontos que chamaram sua atenção!

Você também pode gostar