fbpx
Segurança na Construção Civil: 6 riscos para saúde do trabalhador

A segurança na Construção Civil é um tema extremamente sério e que exige uma série de preocupações e cuidados. É preciso lembrar que o setor é considerado um dos mais perigosos para se trabalhar.

Os trabalhadores estão sujeitos a inúmeros tipos de acidentes. Infelizmente, muitos deles resultam da negligência de líderes e gestores, que deixam de oferecer as condições mínimas de segurança por conta de uma economia irresponsável.

Em outras situações, a responsabilidade é do próprio trabalhador, que não utiliza os devidos Equipamentos de Proteção Individual (EPI). Assim, a melhor maneira de diminuir os riscos à saúde dos trabalhadores se dá pelo conhecimento das principais ameaças e pela definição de maneiras para mitigá-las.

Ficou interessado pelo assunto? Então, continue a leitura deste artigo e conheça 6 riscos para saúde do trabalhador em termos de segurança na Construção Civil.

1. Tenha cuidado com as quedas de nível

As quedas de nível, ou seja, as quedas que ocorrem em atividades em altura, estão entre os acidentes mais comuns. Toda obra que necessita da execução de trabalhos em altura exige extrema atenção e cuidado.

Os colaboradores devem ter ciência dos riscos, pois qualquer erro pode gerar graves consequências. A queda de um profissional ou a queda de um determinado material são capazes de causar danos importantes nos trabalhadores.

Para preparar e treinar corretamente os colaboradores, é necessário seguir as recomendações para trabalho em altura da Norma Regulamentadora 35 (NR-35). Além disso, os profissionais também devem saber operar os equipamentos necessários, evitando maiores problemas.

2. Preste atenção na movimentação de objetos e materiais

Em alguns casos, é necessário realizar a movimentação de objetos e materiais, principalmente em grandes construções. É evidente que, caso o processo não seja devidamente realizado, será mais fácil acontecer quedas desses materiais, que podem atingir os trabalhadores.

É importante deixar claro que a movimentação de objetos e materiais pode ser realizada de diversas formas, como por meio de caminhões, empilhadeiras, carrinhos de mão, elevadores de carga, guindaste e outros.

Então, os acidentes podem variar de pequenos ferimentos a fatalidades. Logo, é fundamental que todos os colaboradores estejam utilizando os devidos EPI’s, garantindo sua segurança na Construção Civil.

Não podemos deixar de mencionar que a área destinada à movimentação de cargas pesadas deve ser devidamente sinalizada e os trabalhadores que não estiverem envolvidos no processo não devem transitar nesses locais.

A NR-11 é a Norma responsável por definir medidas de controle de movimentação de cargas. Então, não deixe de conferi-la.

3. Tenha cuidado com fios elétricos expostos

Choques elétricos podem ser originados por conta de fios elétricos expostos ou da qualidade dos equipamentos. Nesses casos, é preciso verificar se todos os equipamentos estão em condições ideais de uso, tomando as medidas cabíveis se não estiverem.

É preciso deixar claro que a prevenção de choques elétricos se dá por um ambiente que esteja devidamente protegido, no qual os trabalhadores estejam portando equipamentos de segurança e, principalmente, tenham consciência das medidas de segurança.

Os profissionais que trabalham diretamente com eletricidade devem passar por um treinamento obrigatório da NR-10, o qual os habilitará para a realização de tais atividades.

4. Lembre-se de sinalizar o canteiro

Outro problema de segurança na Construção Civil é a falta de sinalização no canteiro de obras. Contar com um canteiro devidamente organizado e sinalizado é sinônimo de diminuição dos riscos.

Para tanto, é preciso que todos os equipamentos e ferramentas utilizados na obra estejam devidamente armazenados em local apropriado. Além disso, a sinalização deve ser previamente pensada, informando às pessoas sobre os riscos daquele local e indicando os principais pontos de atenção e a saída de emergência, por exemplo.

Podemos dizer que a sinalização é primordial para garantir a segurança no ambiente de trabalho. Contudo, além de sinalizar, é preciso garantir que os colaboradores sigam as regras e medidas de segurança estabelecidas. Isso garantirá que eles não corram riscos desnecessários.

5. Tenha consciência dos ruídos em excesso

Normalmente, uma obra envolve a execução de várias atividades simultâneas. Sendo assim, é possível encontrar esmerilhadeira, empilhadeira, caminhão, furadeira, serra circular, guindaste, marreta e tantos outros equipamentos e materiais sendo utilizados ao mesmo tempo.

O barulho causado por eles é quase insuportável, não é mesmo? Obviamente, essa simultaneidade nem sempre será presente, mas é preciso ter consciência dos ruídos em excesso.

Caso os protetores auriculares (um tipo de EPI) não sejam utilizados, a combinação dessas emissões pode gerar a perda auditiva do colaborador. Esse problema pode se transformar em uma PAIR (Perda Auditiva Induzida por Ruído Ocupacional), que não apresenta cura.

A melhor maneira de evitar a ocorrência de ruídos excessivos é utilizar as normas NR-9 e NR-15, específicas para segurança contra ruídos.

6. Evite contato regular com agentes nocivos à saúde

Alguns animais são facilmente encontrados em canteiros de obras, como cobras, aranhas, escorpiões, vespas e outros animais peçonhentos. Então, antes de iniciar os trabalhos, é preciso verificar se há presença de algum deles.

Além disso, o uso de EPIs, como botas, luvas e máscaras, será fundamental para a proteção contra picadas desses animais. Quando grandes concentrações forem encontradas, como colmeias, é importante chamar o Corpo de Bombeiros para sua retirada.

É necessário destacar também a exposição dos trabalhadores a produtos químicos, como metais (chumbo, cobalto e mercúrio), gases asfixiantes (cianeto, monóxido de carbono e nitrato de butila) e solventes orgânicos (tuleno, estireno, tricloroetileno, butanol e outros).

Essas substâncias podem causar inúmeros problemas, como simples dores de cabeça até o surgimento de câncer.

Os agentes químicos presentes em materiais como cal, cimento, argamassa e concreto podem causar problemas sérios à saúde dos colaboradores. Quando há contato sem a devida proteção, será possível identificar dermatoses e alergias, além de outros problemas.

Garantir a segurança na Construção Civil não é uma tarefa fácil. É preciso investir na capacitação dos colaboradores, mostrando a eles a importância de utilizar os EPIs e as principais medidas de segurança exigidas por cada situação.

Outro ponto importante é fornecer todos os equipamentos e treinamentos necessários, que devem ser vistos como investimentos e não como custos adicionais. Os profissionais passarão a executar suas funções de acordo com as normas, diminuindo o número de acidentes e, consequentemente, valorizando sua empresa.

Dessa forma, seu negócio será bem-visto no mercado, além de evitar o custo com processos judiciais, substituição dos profissionais e eventuais indenizações. Pense nisso!

E aí, o que achou dos riscos para a saúde do trabalhador em termos de segurança na construção civil que destacamos? Foram válidos? Então, não deixe de conhecer 5 inovações na Construção Civil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This